quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

idade da pedra



idade da pedra

um puto joga pedras para cima,
brincando alienado e muito vivo:
a vida já lhe serve de incentivo,
bastando-se por ter a sua estima.

a infância a celebrar entanto prima,
sabendo que é feliz, sem pôr o crivo
racional sobre tempo tão festivo,
e move ocasião para esta rima.

estando tudo bem, uma pedrada
(que tem a sua gênese no puto)
contempla uma vizinha malfadada.

infância..., quanto pranto, quanto luto,
quanta vez a mamãe dá chinelada,
oh, mundo lazarento, oh, mundo bruto!


marcos satoru kawanami


Um comentário :

www.elianedelacerda.com disse...

Amigo poeta,
a infância é uma faca de dois gumes...
quantas chineladas da mamãe, vc tem razão!
Bjos
Mundo bruto mesmo!
http://www.elianedelacerda.com