sábado, 18 de novembro de 2017

A FEDELHA


A FEDELHA

Fedelha afeiçoada a um bom conflito,
a filha de seu pai, que a desconhece,
inspira muita gente a fazer prece,
inspira este soneto, em que reflito.

Esmera-se em no mal fazer bonito,
quer ser o espeto em tudo que acontece,
pois ela está sozinha, e grande é a messe,
faz arte pela arte..., entanto a imito(?).

Fedelho que já fui feliz um dia,
agora só contemplo o refinado
bom gosto do mau gosto com saudade.

No tempo em que escrever eu não sabia,
melhor talvez teria sonetado,
com menos rima rica, e mais verdade.


Marcos Satoru Kawanami


6 comentários :

Paulo Vitor F. da Cruz disse...

A rima rica tbm tem a sua verdade, não?

Rapha Barreto disse...

Fico feliz em ver que voltou.

Acredito que todos nós temos saudades dos tempos de "fedelhos".

Boa semana Marcos,

http://mylife-rapha.blogspot.com

Andreia Morais disse...

Gostei muito!

r: Muito, muito obrigada :) fico contente

Diana Fonseca disse...

Ainda bem que agora sabe escrever tão bem.

inestcastro disse...

Que haja sempre um fedelho dentro de nós.

Elyane Lacerdda disse...

Os fedelhos existem para nos estimularem,amigo!
kkkkkkkkkkkkkkkkk
Vc escreve bem e isso basta!
Co rimas perfeitas ou não,
sinta-se POETA!
bjos
http://www.eliaedelacerda.com