quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

FLATOS FATUAIS



FLATOS FATUAIS

Em fino acabamento o mármore da História
conclui que concluir... demora pra caramba!,
e toda conclusão paira na corda bamba,
por mais que cabalmente oclusa e meritória.

Contudo, vasculhando as teias da memória,
alguém há de dizer que já dizia o samba...
que esse disse-me-disse, algum dia, descamba
como a lua do céu, como a ilusão da glória.

Um outro alguém ainda há de dizer: “Não disse?”,
dizendo sem dizer, com sopros do intestino
referendando o arbítrio à vista da mesmice.

E o mármore da História encerra o que é destino
numa vala comum, como quem concluísse
com flatos fatuais um verso alexandrino.


Marcos Satoru Kawanami