domingo, 26 de março de 2017

RIMA OBRIGATÓRIA

Qual é a da parada aí?

RIMA OBRIGATÓRIA

Fazer o bem, fazer alguém feliz
ao ler algum poema divertido,
de minha parte, muita vez tem sido
o lema para os versos que já fiz.

Porém tal intenção se escreve a giz,
não vejo o humor pra sempre ser retido
nas almas bem escassas que têm lido
a minha gozação, que nada diz.

Então, este soneto será triste
feito uma punhalada na rabeta,
e aqui sinto que alguém de ler desiste...

Mas gosta de bobagem a caneta,
porquanto quer lembrar, e nisso insiste,
que aceitará rimar só com buceta.


Marcos Satoru Kawanami


Um comentário :

BAR DO BARDO disse...

viva a buceta
viva a buceta
viva a buceta