segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Tia Kinóris

Tia Kinóris: tem cabelo no peito, fuma charuto,
bebe chumbo derretido, e cospe bala de canhão.



TIA KINÓRIS

O sol da meia-noite não é nada
se comparado ao breu do meio-dia,
declara sobriamente minha tia,
a qual voltou do norte sequelada.

Tia Kinóris foi muito agitada
no tempo em que primeiro aqui vivia,
agora não, pois fez lobotomia,
ficou boba, mas deu uma centrada.

E sol à meia-noite é mesmo chato,
mas breu ao meio-dia é uma morte,
o provérbio parece bem sensato.

Até que minha tia teve sorte,
pois vê-la prosear é o mor barato,
porém tenho evitado o rumo norte...


Marcos Satoru Kawanami


4 comentários :

Rosemeri Pellens disse...

Kkkkk... Adorei! Rumo norte ou rimas com norte.

Deus nos livre de ir tão cedo
para o norte que nos dá tanto medo.
É certo que um dia vem, ou vamos,
mas que demore o até breve, amém.

Bjk, amigo.

Rapha Barreto disse...

Adorei o poema e o trocadilho com o chuck norris,

Boa semana,

http://mylife-rapha.blogspot.com

Jaime Guimarães disse...

Tia Kinóris sempre foi muito forte. Resistiu a uma lobotomia e canja com caldo Kinór. :-D

BAR DO BARDO disse...

Mestre dos sonetos.