terça-feira, 27 de dezembro de 2016

AOS ANJOS


Cândido Portinari - chorinho - 1942

AOS ANJOS

Quem me dera escrever desta maneira
e todos entendendo o que ora escrevo,
acima das fronteiras, do relevo
linguístico que impõe tosca barreira.

Porém é tão canora a brasileira
linguagem portuguesa, que me atrevo
a procurar mover tamanho enlevo
que ler em português o mundo queira.

E, quando céus e terra enfim passarem,
pereça com o mundo o que é tristeza
de modo a nem de leve a recordarem.

Pereçam a feiura e a beleza,
só reste a perfeição, mas, ao cantarem,
cantem, anjos, em língua portuguesa!


Marcos Satoru Kawanami