sábado, 9 de julho de 2016

ORDEM E PROGRESSO


ORDEM E PROGRESSO

Partindo do princípio que não parte
do fim qualquer princípio que começa
sem antes começar o que encabeça,
mas da finalidade o estado da arte:

Ora senão aqui ou mesmo em Marte,
onde irão encenar também a peça
da Humanidade, a qual produz à beça
lixo por todo canto e toda parte:

Estou, e muito obstante a fuleiragem,
escrevendo um rascunho de existir,
sem querer retratar o que é paisagem.

E digo mais, costumo ou ir ou vir,
porém fico parado a dar passagem
se é lama o que me impede progredir.


Marcos Satoru Kawanami


8 comentários :

Luis Coelho disse...

Um soneto perfeito. Uma rima musical bem acentuada.

Elyane Lacerdda disse...

Que lindo,amigo poeta!!!!!
Adoro suas postagens!
http://www.elianedelacerda.com

A Casa Madeira disse...

É a lama está me parece que em toda a parte...
Imagem bem pensada para o poema;
Boa continuação de semana;

Teresinha disse...

Bonito poema, amigo!
(o flautista é um amiguinho; o meu neto foi o realizador!!!)
Um abraço

manuela baptista disse...

as lixeiras do homem


no princípio, era o paraíso terreal


um abraço, Marcos

Meri Pellens disse...

E bota lama, pior que de Mariana.
Bjk! ^_^

Jaime Guimarães disse...

Da lama ao caos, rumo à desordem e ao regresso.

BAR DO BARDO disse...

Herdeiro do Boca. Muito bom!