segunda-feira, 9 de maio de 2016

AUTO DA BARCA FURADA


AUTO DA BARCA FURADA

Aviso aos navegantes, coisa à toa:
vós todos morrereis nesta viagem;
parece que isso seja sacanagem,
mas digo mesmo em tom de quem caçoa.

Se reclamais que a vida vos enjoa,
reclamais do calor e da friagem,
do trabalho e também da vadiagem,
a morte até parece coisa boa...

Aguardo a minha morte bem na proa,
cantando na maior vitalidade
a fúnebre alegria que destoa.

Só que a morte terá dificuldade;
se bobear, afundo-lhe a canoa,
e morra a morte, e viva a eternidade!


Marcos Satoru Kawanami


5 comentários :

Rapha Barreto disse...

Muito bom Marco, adorei como escreveste.
E que viva a Cristandade.

Boa semana

http://mylife-rapha.blogspot.com

Jaime Guimarães disse...

O fidalgo curtiu, poeta Satoru!

Meri Pellens disse...

Bravo! "Morra a morte, e viva a eternidade".
Fechou com maestria.
Bjk!

Diana Fonseca disse...

Quem dera que pudéssemos ser eternos.

Arco-Íris de Frida disse...

E viva a eternidade...e que o resto afunde...

Beijos...