quinta-feira, 14 de abril de 2016

SE O SONETO PERMITISSE

LINK

SE O SONETO PERMITISSE

A frívola canção do cancioneiro,
na qual se inscreve agora a minha vida,
retrata o que não sou, mas, quando ouvida,
revelará que nela estou inteiro.

O mundo roda em volta de um braseiro,
em volta de um brasil, só de partida,
e apenas no futuro tem guarida,
parece que Deus quis ser brasileiro.

Não creia no que digo porque digo,
nem creia no contrário do que eu disse,
é frívola a canção na qual me abrigo.

Pois posso bem sorver da maluquice
até arrebentar o próprio umbigo,
e inda mais, se o soneto permitisse.


Marcos Satoru Kawanami


7 comentários :

Fábio Murilo disse...

Perfeito nos sonetos. Gostei!

Luis Coelho disse...

Maravilha. Quando o poeta solta os seus pensamentos, consegue estas maravilhas.
Abraços e bom fim de semana.

Arco-Íris de Frida disse...

Sera que so no futuro o Brasil tem guarida?

Laura Santos disse...

Perfeito o teu soneto, Marcos. O Brasil está passar por um mau momento, mas já passou por outros, e terá de sair desta crise política, mas de uma forma ou de outra sairá sempre mal.
Fiquei curiosa para ver o filme. Na próxima semana quero ver. :-)
Bom domingo, Marcos.
xx

Meri Pellens disse...

É, o Brasil está um braseiro doido e doído.
Que Deus, que é brasileiro, nos acuda!
Bjk e uma abençoada semana!

Paullus Victhórius disse...

Que o soneto permita!

Paullus Victhórius disse...

Ou não.