quarta-feira, 16 de março de 2016

MARIA GLADYS

https://www.youtube.com/watch?v=dxjtWD8mI4U
Maria Gladys - filme: Cuidado Madame - diretor: Julio Bressane
músicas de Noel Rosa, Ary Barroso e Lamartine Babo
LINK

MARIA GLADYS

O tempo nos dispõe aqui e ali,
distância além do espaço mais distante,
prisão aberta, o mais intolerante
carcereiro, que aparta-me de ti.

Estou, alheio ao tempo, em Cachambi;
na encolha, disfarcei-me de estudante,
a fim de ver passar entre os passantes
a tua mocidade que não vi.

Não devo dizer nada, estou calado,
e choro ao teu sorriso matinal,
porque morar não posso no passado.

Regresso da viagem temporal,
e escrevo ainda um tanto atordoado
à musa do cinema marginal.


Nhandeara, 16 de março de 2016
Marcos Satoru Kawanami


4 comentários :

Elyane Lacerdda disse...

Amigo poeta,
linda a sua homenagem!!!!!
BRAVO sempre!!!!
Bjos e linda semana!
http://www.elianedelacerda.com
O que seria poesia marginal, a sociedade dita normas...comportamentos...

Patricia disse...

Esse poema bonito, um tributo muito bem sucedida para a musa do cinema ... infelizmente não conheci ela, mas eu tenho certeza que foi maravilhoso seu trabalho,
beijinyos, feliz dia!

Laura Santos disse...

Não conheço Maria Gladys, essa "musa do cinema marginal", e também, por "arrastamento" , do teu belo soneto.
Abri o link, mas não tenho acesso ao video aqui em Portugal. :-(
xx

Meri Pellens disse...

Bonita homenagem, Marcos.
Bjk...