sexta-feira, 18 de março de 2016

FILME DE CURTA METRAGEM


filme de curta metragem

“o mundo ensina ao homem com mais facilidade aquilo que ele não quer aprender.”
(noel rosa)

na manhã rosa bebê
em que ana maria magalhães me comeu,
deram com o tacape na minha cuca,
uma nuvem atômica pocou sobre o monte sião,
era o Cristo que voltava.

vesti terno xadrez,
e me casei com maria gladys na igrejinha da glória,
ela tinha 14 anos, e eu 15.
entramos para o convento de santo antônio,
fizemos voto de celibato,
e tivemos muitos filhos,
tivemos um time de futebol completo
com os reservas e os gandulas, árbitro e bandeirinhas.

e nossa descendência povoou a terra...
uma descendenciazinha tarada, mestiça e precária,
a humanidade feliz.

ana maria magalhães ficou com meu retrato,
me canibalizando com os olhos por toda a eternidade,
filmou filmes de curta metragem infinitos,
e fez o filme de curta metragem desta história sem fim
lucrativo.
o roteiro é este.


nhandeara, 18 de março de 2016
marcos satoru kawanami