sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

SOBRE O AMOR - Luís Vaz de Camões, o filme.

LINK: recitando o soneto.

SOBRE O AMOR - a Luís Vaz de Camões, pai da língua portuguesa.

Amor é o próprio Deus, o criador;
é Nele desfrutar toda amizade,
empenhando por Ele seu favor.

É ter, com quem nos ama, lealdade;
é servir a quem vence: o Redentor;
é fazer de um segundo eternidade.

É saber que se ganha em se perder;
é nunca se render ao aparente;
é um andar solidário entre a gente;
é um bem querer acima do querer.

É ideal mui subido pra se ver,
é ideal muito à mão pra quem o sente;
e, estando de tal forma onipresente,
o Amor inda se faz contradizer?


Nhandeara, 12 de fevereiro de 2016
Marcos Satoru Kawanami




A CAMÕES

Quando n'alma pesar de tua raça
A névoa da apagada e vil tristeza,
Busque ela sempre a glória que não passa,
Em teu poema de heroísmo e de beleza.

Gênio purificado na desgraça,
Tu resumiste em ti toda a grandeza:
Poeta e soldado... Em ti brilhou sem jaça
O amor da grande pátria portuguesa.

E enquanto o fero canto ecoar na mente
Da estirpe que em perigos sublimados
Plantou a cruz em cada continente,

Não morrerá sem poetas nem soldados
A língua em que cantaste rudemente
As armas e os barões assinalados.

Manuel Bandeira




Soneto 5 da Lírica

Amor é fogo que arde sem se ver;
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente;
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís Vaz de Camões




Link do filme completo: CAMÕES