quarta-feira, 25 de novembro de 2015

RABUGEM


RABUGEM

Rabugem, como o nome diz, começa
pelo rabo, e avança rumo à fuça
do bicho, o qual a vista nos aguça,
inspirando cuidado, e dó à beça.

Parece lepra, mas não é, pois essa
agrava o caso pra quem se debruça
tentando esmiuçá-lo, e se esmiúça
em cômica, banal e leve peça.

Rabugem é o que tem minha cachorra!:
cheguei em casa, a vi coçando o rabo
com displicência, na maior pachorra...

Só álcool não resolve, o mal é brabo,
se tenho recorrido até à borra
de café, sem vencer em dar-lhe cabo!


Nhandeara, 25 de novembro de 2015
Marcos Satoru Kawanami


2 comentários :

Laura Santos disse...

Ah Marcos, tudo te acontece! Agora até a tua cachorra tem rabugem!...Uma espécie de sarna...? Difícil de tratar mesmo, mas o soneto ficou óptimo, como sempre,com o teu sentido de humor irreverente, sentido humor bem expresso na foto, também! :-)
xx

Pérola disse...

Sempre aprendendo...uma nova palavra no meu dicionário...rabugem


Beijo