sábado, 7 de novembro de 2015

PAPEL


PAPEL

Papel: palavra para que se guarde
palavra e mais palavra, num fichário,
num livro, num caderno, num armário,
a fim de ser palavra até mais tarde.

Papel, prensada celulose, aguarde,
no lixo reciclável, rumo vário,
pois tem a sua força em ser precário,
nascendo novamente, se não arde.

Quem sou: palavra para que se leia
quem sou agora, só que no futuro,
pois nunca existe agora, agora creia.

Quem sou, creio?, já cri, e ainda juro
que não devo jurar, o juro enleia
quem deve, e, devedor, não quero apuro.


Nhandeara, 7 de novembro de 2015
Marcos Satoru Kawanami