segunda-feira, 23 de novembro de 2015

LUGAR DE PENITENTE


LUGAR DE PENITENTE

O meu cachorro tem a me ensinar
bastante sobre graça e lealdade,
e ajuda-me a entender a caridade,
deixando eu me botar em seu lugar.

Um gato talvez tenha a me mostrar,
com distinta e sagaz felinidade,
que dono do cachorro, na verdade,
não sou, se nem sou dono do meu lar.

Um porco é sempre espelho para mim,
que junto à porcaria estou contente
pensando que este mundo não tem fim.

Um verme estampa o quão precariamente
sustento as ilusões ao ser, e, assim,
encontro meu lugar de penitente.


Nhandeara, 22 de novembro de 2015
Marcos Satoru Kawanami