segunda-feira, 9 de novembro de 2015

FLATO VERÍDICO


FLATO VERÍDICO

O peido sai da peida, e é um gás
translúcido, odorífico, butano
mesclado com partículas do humano
cocô, e vem daí o seu cartaz.

O peido é igual a filho, só quem faz
aguenta. Digo isso sem engano,
pois peido é sobre a gente soberano,
e, às vezes, é questão de guerra e paz.

Falar como se a boca fosse o cu
apraz quem reconhece, na humildade,
a leda condição de ser jacu.

Mas, tendo o erudito a tal vontade,
irá peidar, e, aí, o deixo nu,
despido de qualquer vã veleidade.


Nhandeara, 9 de novembro de 2015
Marcos Satoru Kawanami



— O que uma nádega disse para a outra?
— Que merda nenhuma nos separe!
(Paulinho Gogó)


"Filho é que nem peido: só aguenta quem faz."
(Ary Toledo)


"O que seria do doce de coco se não fosse o acento circunflexo?"
(Antônio Maria)

2 comentários :

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia.
Um poema para rir e viver
Como se sabe e é de crer
O peido é livre de se fazer
Mas a todos em redor fará sofrer

Laura Santos disse...

Aaah comparar um peido com um filho é um pouco demais, não?...Mas que ambos saem de nós , isso é certo! :-)
xx