sábado, 2 de maio de 2015

Poema Novo


POEMA NOVO

Prometo te escrever poema novo
contando as novidades, bossa nova...
aqui do meu país da bosta nova,
que está cagando paus para o seu povo.

Se eu fosse uma galinha, eu dava um ovo
por nosso ledo amor a toda prova;
dispondo só de dois, é uma ova
que dou a ti, galinha, e me comovo...

Assim, vai esperando sentadinha
no teu poleiro novo a beira-mar:
repete aquela mesma ladainha...

Mas nem por um caralho vou te dar
poema novo, posto que galinha,
tentando ler, só vai cacarejar!



Nhandeara, 2 de maiô em 2015, ai que frio!
Marcos Satoru Kawanami


8 comentários :

Rapha Barreto disse...

Muito bom Marcos!
Bom final de semana, beijo

http://mylife-rapha.blogspot.com

JAIRCLOPES disse...

Assim, um novo poema prometo
Garanto que novidades ele trará
Onde sei que algum interesse há
Repare que em forma de soneto.

Apenas não ofereço meu esqueleto
Nem qualquer alimento aí ou acolá
O que desejo é compô-lo bem e já.
Visando você, o melhor eu cometo.

Outrora, ao vê-la, eu me comovia
Porquanto você é minha inspiração
O que tenho agora é pura alegria.

Era apenas você e eu, porque não
Mas como eu sem sua companhia
Acordo do pesadelo em comoção.

Laura Santos disse...

Uma grande citação essa, do Eça, e um poema novíssimo e descaradão!
Só não entendi o "cagando paus"!...Porquê paus?...:-)
Bom domingo, Marcos!
xx

A Casa Madeira disse...

kkk adorei;
Achei bem atual nesses tempos em que estamos a vivenciar. Tá bruto mesmo.
Bom começo de maio.
Janicce.

Arco-Íris de Frida disse...

O poema condiz com a realidade atual... por isso so o riso pode nos salvar...ainda...

Jaime Guimarães disse...

Bom humor é fundamental...e boas rimas também, poeta Satoru! Muito bom! Abraço!

Rapha Barreto disse...

Retorno aqui, como é linda aquela citação do Queiroz.
Boa semana,

http://mylife-rapha.blogspot.com

P.S: adorei o comentário no meu blog.

Pérola disse...

O riso é uma lingua nem sempre entendida.

Beijo