quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

filme: Costinha, o libertino - soneto: falatório


FALATÓRIO

Falam que o que falo é pornografia,
pois falo falo falo falo falo,
e, em síntese, o que falo vai pro ralo,
parece até que sou mitologia...

Mas, se falo o que falo, quem diria
fi-lo, em meu lugar, não diria, e fá-lo
pois falo falo falo falo falo,
mas nunca fi-lo além da portaria!

Não disse putaria, que é abuso
de puto sem noção que sabe picas
das normas de boceta e seu bom uso.

Contudo, se ao caralho tu me indicas,
segura furibunda o meu obtuso
soneto, que é de bunda mais pudica!



Nhandeara, 25 de fevereiro de 2015
Marcos Satoru Kawanami




"Lavar latrinas por gosto é lazer; assistir a sessões de pornografia por obrigação é trabalho." (Glauco Mattoso)


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

20 anos de falecimento de Costinha - filme: Entrei de gaiato

https://www.youtube.com/watch?v=m5AO6EjqJhs
Costinha no filme Entrei de gaiato
LINK


Neste ano de 2015, lembramos os 20 anos de falecimento de Costinha (*25 de março de 1923 +15 de setembro de 1995).

Acabo de assistir agora a um dos filmes em que ele atua, o filme Entrei de gaiato, no qual ele interpreta um carregador de hotel.

O filme é interessante pela estória em si, mas também por seu elenco:

Zé Trindade
Francisco Anísio, o Chico Anysio, como ator e sendo também um dos redatores
Manuel de Nóbrega
Dercy Gonçalves, aos 52 anos mas com rosto de moleca
Moacyr Franco, cantando Me dá um dinheiro aí
Sylvio Caldas, cantando também
Elizeth Cardoso, cantando também
Grande Othelo
Procópio Filho
Dircinha Batista, cantando
Bando da Lua
e, entre vários artistas da época, Lírio Mário da Costa, o Costinha.