segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Spiral on the Sphere - Espiral na Esfera

Em graus, mas o gráfico fica melhor em radianos.



Uz = unidade do eixo Z
explicação para a folha 2




ESPIRAL

Como el clavel sobre su vara,
como el clavel, es el cohete:
es un clavel que se dispara.

Como el cohete el torbellino:
sube hasta el cielo y se desgrana,
canto de pájaro en un pino.

Como el clavel y como el viento
el caracol es un cohete:
petrificado movimiento.

Y la espiral en cada cosa
su vibración difunde en giros:
el movimiento no reposa.

Octavio Paz


7 comentários :

Laura Santos disse...

É mesmo, Marcos, o movimento não repousa nunca, e mesmo quando desenhada, uma espiral não parece descansar nunca.
Um belo poema de O. Paz que não conhecia, quanto aos teus gatafunhos só me fizeram lembrar as minhas longínquas aulas de Geometria que eram praticamente chinês para mim...:-)
xx

Rapha Barreto disse...

Muito bom o poema, apesar de não saber muito esta lingua, consegui entede-la.

Beijos

http://mylife-rapha.blogspot.com

Arco-Íris de Frida disse...

Difunde vibraçoes em curva...

Gostei...

Bia Fernandes disse...

Pois é, eu sei que tens razão mas olha... a maioria das vezes uma pessoa esquece-se e pensa que essas coisas só acontecem aos outros.
Felizmente já consegui ligar o computador e tirar tudo de lá :) mas tens toda a razão: backup é o mais seguro!

José Carlos Sant Anna disse...

Do capital
a maior virtude
é a espiral.

Gostei da inquietante geometria...

Abração,

Paulus Vitórius disse...

lembrou das aulas da faculdade de proporção áurea e a sua busca pela beleza... mas ainda há uma coisa nisso tudo q eu n entendo.

Bia Fernandes disse...

Ainda não está terminada a aparência do blog mas ainda bem que achas que está chique :D é o objetivo !
quanto ao poema tenho de o ler com atenção :D