quarta-feira, 23 de julho de 2014

Memorial do Convento - Comboio Noturno Para Lisboa

Link
note bem: No filme, discordo do discurso ateu que um dos personagens faz na capela.



MEMORIAL DO CONVENTO

Tenho tanto sentimento,
que, mesmo cagando ao vento,
peido em tom sentimental...
E, ao lado do meu assento,
as noviças do convento
acham que é o bestial
treinamento do arsenal.

Porém, Madre Dulce diz
que aquilo fui eu que fiz,
e começa o carnaval.
Bianca fica feliz,
dizendo que sempre quis
poder me meter o pau...

Sobressalto tenho eu,
pois aqui ninguém meteu,
e a Bianca angelical
que tantos flatos rendeu
ao castiço sonho meu
decretou-lhe a pá de cal.

Mas meu sentimento é tanto
por Bianca, que levanto
o meu gládio triunfal,
e eu que nunca serei santo
entro em baixo do seu manto
pra provar do bacalhau.

E só nesse tal momento
tenho tanto sentimento
que acho ser sentimental.
Mas o luso condimento
que é servido no convento
só senti em Portugal.


Depois, palitando dente,
ela, displicentemente,
diz que é muito natural
uma irmã boa e temente
derramar o que é semente
do carinho fraternal...


Nhandeara, 23 de julho de 2014

8 comentários :

Laura Santos disse...

Esse um interessante filme com uma actriz portuguesa da qual gosto muito, Beatriz Batarda.
Quanto ao poema,muito bem construído. Diverti-me!
Sabes que existe em Portugal uma canção intitulada "Quero cheirar teu bacalhau, Maria"...:-) É muito popular. E pelos vistos não são só os portugueses os grandes apreciadores de bacalhau :-)
xx

Paulus Vitórius disse...

não conheço o filme, mas mesmo assim prefiro o poema.

*como bom descendente de portugueses q sou, tudo q envolva bacalhau é pra ser considerado! rá!

abraço grande.

Marcos Satoru Kawanami disse...

O senso comum diz bacalhau, mas, ao meu olfato, é hambúrger.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Marcos. Adorei e me diverti lendo o teu poema muito bem escrito.
Quanta "santidade" existente na irmã.
Parabéns!
Lindo fim de semana de paz.
Beijos na alma.

André Foltran disse...

Poema bem construído, divertidíssimo... E o título à la Saramago serviu como uma luva.

Um abraço!

Laura Santos disse...

Mas desde quando o bacalhau pode cheirar a hamburger?..!
Não sei que bacalhau andas comendo, Marcos ;-)
xx

Nicéas Romeo Zanchett disse...

Adorei! Me transportou ao tempo em que estudada no colégio da Irmãs Azuis em Abdon Batista.
Nicéas Romeo Zanchett

Bia Fernandes disse...

Bacalhau ... ai o bacalhau!!