quarta-feira, 23 de abril de 2014

a merda da tua vida


A MERDA DA TUA VIDA

A merda mais sulfúrica que fiz
foi ter cagado no ventilador,
feito uma rima tipo dor e amor
que se rabisca, sem autor, a giz.

Caguei como quem caga e é feliz,
e foi a vida inteira o meu pendor
continuar cagando sem supor
que, em tal ofício, fui eu aprendiz.

Passei por maus bocados ventilando
o enxofre que encontrei na terra, arauto
do que não encontrei na terra, andando.

Caguei por ser poeta, e fui incauto;
e, agora, a tua vida avaliando,
que merda seguirás sempre lembrando?




Nhandeara, 19 de abril de 2014
Marcos Satoru Kawanami

6 comentários :

Laura Santos disse...

Aaaah!! É só merda por aqui!
Como seres da natureza, os gases também se formam em nós e teremos de ventilá-los, but when the shit hits the fan,cagamos até nos outros!
Quanto a rimar dor com amor será eterno vício dos poetas principiantes; todos por lá passámos...e nem quero lembrar a minha merda, que já foi alguma, mesmo. Sobretudo desses tempos em que rimava dor com amor e amar com mar!...:-))
Ah, Marcos, que divertido!
E agora vou ali rimar dor com amor, porque eu sou das que não aprendo!
xx

Rafaela G. Figueiredo disse...

vc é um meu tipo Augusto dos Anjos favorito!
:)

beijo
saudade daqui (mas com pouco tempo e alma - e td o mais q merece - para a poesia :( )

BAR DO BARDO disse...

O cago é memorável. Merda!

Fábio Murilo disse...

"Mora na filosofia: Prá que rimar amor e dor" (Caetano Veloso).

Meri Pellens disse...

Bah, já rimei muito amor e dor rs...
Fazer o quê? Deixa para o passado, o que já foi está encerrado.
Bjs... MP ;)

JAIRCLOPES disse...

A cagada

Porquanto fazer merda é o justo direito
Desde que, justamente, seja bem feito
Soltar o barro no ventilador é, portanto
Dever de quem está injuriado um tanto.

Porque direito de bostear não se herda
Se você encontra-se irado, jogue merda
Ao cagar sua defecação vira um artefato
Que perdido estaria se ficasse no mato.

Chateado, cague e coloque no ventilador
Seja em privado, em público ou onde for
Tudo de bom encontre nessa caminhada.

Sentindo que amenizará a estranha dor
Não permaneça pois parado, em estupor
Distribua com toda grandeza sua cagada.