quinta-feira, 20 de março de 2014

2001: a space odyssey - film of Stanley Kubrick


WE?

Lonelyness is a so natural state
of any living matter you will find;
’cause when I was a child, now I remind
myself: I was alone, that was my hate!

I had a mother, a father, a faith,
and the true love of my sister, so kind...
come from the very equal flesh of mine,
and, yet, I was I behind the soul’s gate!

Now, where’s my faith, my sister, where am I?
in this spinning sphere which just says good bye
to teach us good bye, to teach us to pass...

As our life goes too fast, we’re lonely as
the fast spaceship that goes faster as far
it is from us, from the Origin we are!



Marcos Satoru Kawanami

12 comentários :

Rafaela G. Figueiredo disse...

Hj vi o titulo de um livro (q já ñ lembro rs) e pela orelha tinha um pouco do q dizes aqui!
Esse descompasso entre o (ser) humano, o tempo e o espaço... e aquém e além.
Sua versatilidade me apraz sempre!

:*

Meri Pellens disse...

Sempre sós, mas jamais soltários, se pudermos perceber que nosso Pai eterno tem nos acompanhado desde sempre, como tbm nos cercado com seus anjos. Claro que nos momentos de maior abatimento não percebemos isso. Mas é então nesses momentos, que o Senhor misericordioso nos carrega em seus braços. Sinto isso no decurso da minha vida.
Beijos, meu querido.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

"As our life goes too fast, we’re lonely as the fast spaceship that goes faster as far it is from us,"

Um intenso poema a registar... IMpressivo... como a imagem...

Abraço amigo

Laura Santos disse...

Realmente só somos verdadeiramente o que somos para além desse portão da alma onde só estamos nós, mesmo que na vida possamos estar rodeados por tantos laços de afecto ou qualquer tipo de fé.
Tudo o que existe desde o nosso início será tragado pelo tempo que corre e servirá para nos demonstrar que de tudo teremos de dizer adeus.
Tal como essa nave espacial que tão velozmente se afasta, assim também nós nos afastaremos irremediavelmente dessa origem inicial.
Demasiadamente bom!
xx

Dorli Silva disse...

A solidão é imensa em qualquer pessoa independente de status, para que não sejamos pessoas solitárias temos que viver de casos e descasos que a vida nos oferece.
Nós só não fomos solitários quando protegidos estávamos dentro do ventre de nossas mães.
Obrigada pelo carinho, o povo do descaso não somam votos. suficientes...
Obrigada
Mundo dos Inocentes
Conheça meu outro blog: Lua Singular

Sissym Mascarenhas disse...



Nunca me esqueço da primeira vez que assisti ao filme, passados anos, eu vi novamente, o amadurecimento me fez tambem ver de outra maneira. As vivencias fazem as comparações.

Bjs

Dulce Morais disse...

The poem tells me more than each word separately... very intense and true!
I liked it!

Fábio Murilo disse...

A felicidade, tudo é um estado de espirito, da maneira como vemos o mundo.

BAR DO BARDO disse...

Yes...

manuela baptista disse...

life goes too fast

and yet,

is a space odyssey!


e com a música de Richard Strauss, ainda melhor

um abraço, Marcos


Paulus Vitórius disse...

quem precisa da felicidade quando se tem um filme desses pra assistir?

é um dos meus filmes preferidos, pra não dizer que é O..

abraço e feliz quarta-feira, bicho.

Cecília Romeu disse...

Marquitos,
I don't understand.

Kisses!