quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

só a razão não é suficiente

molécula de água

RIMAS

        As rimas se combinam, as palavras se combinam, as letras se combinam. Combinam-se os átomos, as moléculas e as células.
        A posição das palavras determina a rima, e a posição das letras determina a palavra. A posição das moléculas determina a célula, e a posição dos átomos determina a molécula.
        No mundo material, as coisas funcionam numa relação de posição no espaço e convenção dos elementos químicos, assim como convencionamos as letras do alfabeto.
        Dessa maneira, o cérebro arquiva memórias em forma de moléculas posicionadas umas em relação às outras, que são acessadas pela alma. De forma semelhante, um poema escrito num papel pode ser lido e declamado por uma pessoa. Bem como pode ser apagado, ou jogado fora.
        Mas um poema não é audível sem que alguém o declame, assim como um cérebro não concebe um poema sem uma alma que o anime para além dos reflexos musculares e glandulares.

Nhandeara, 4 de dezembro de 2013
Marcos Satoru Kawanami



cristal de água

SÓ A RAZÃO NÃO É SUFICIENTE

        Só a Razão não é suficiente.
        Uma pessoa passa por vivências usando a Razão, e não crê em Cristo.
        A mesma pessoa passa por vivências diferentes usando a Razão, e crê em Cristo.
        Disso, percebe-se que a Razão é apenas uma ferramenta, a qual pode levar a conclusões diametralmente opostas, dependendo das experiências de vida de cada pessoa, dependendo do acaso.
        Com a Fé, a pessoa deixa de depender do acaso, pois as experiências de vida são apreciadas pela Razão sob uma perspectiva ampliada de discernimento.

Nhandeara, 4 de dezembro de 2013
Marcos Satoru Kawanami


5 comentários :

Jacques disse...

Olá, Marco.
Bela criação; não temos controle sobre tudo aquilo que nosso cérebro absorve e guarda, então podemos dizer que tudo que criamos está além de nosso controle, o que nos faz pensar um bocado sobre isso.
Obrigado pela visita.
Abraço.

Paulo Vito disse...

isso é assunto p discutir em espaço maior q o de comentário do blog. e tenho dito. rá!

Fred Caju disse...

Tô contigo. O Borges após a cegueira, passou a rimar mais para ajudar na memorização; a origem da poética está relacionada à tradição oral, mas convenhamos já existem outras formas. O Caeiro, apesar do Pessoa ser um grande rimador, abominava essa necessidade. Enfim, cada qual com suas estratégias.

Rafaela Figueiredo disse...

Que linda essa descrição metalinguística!
Prova q para ser poético, vai-se além da 'fórmula'.

Bjos

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Marco. Bastante inteligente a sua postagem.
Acredito que alma e razão estejam na realidade interligadas.
Nada acontece por acaso e tem um lado mais forte entre elas duas, que talvez fale o que gostaria de dizer há muito e não teve coragem.
Tanto a razão, quanto a emoção são importantes.
Beijos na alma e parabéns!
Fique com Deus!