quarta-feira, 23 de outubro de 2013

la furia - versão final


LA FURIA

Eu amo. É a única certeza minha.
Parece incongruente, à frase falta
objeto, e esvaziou-se na noite alta
do mundo, que a Plutão aqui se alinha.

Mas, desde muito infante, em mim, eu tinha
a fúria flamejante, a voz que exalta,
em tudo que se passa, a virgo arauta
da fé e da beleza, tão vizinhas...

O amor jamais acaba, há sempre um algo
além a renová-lo, incrementando
o rumo de um Quixote, o bom fidalgo...

E, assim, vou, pela Mancha, cavalgando
com a sagaz potranca que cavalgo,
por quem o amor tão sempre eu sigo amando.



Nhandeara, 23 de outubro de 2013
Marcos Satoru Kawanami

13 comentários :

Ana Cecilia Romeu disse...

Amar o amor, Marquitos!
Só para Don Quijote mesmo. Pois sejamos um.

Beijos!

PS.: É essa a foto que fica melhor?

Marcos Satoru Kawanami disse...

Ana,

Esta foto é boa, mas a melhor é a que vc está com o gato.

bj
Marcos

Samuel Balbinot disse...

Boa noite Marcos.. agradeço as visitas e desculpe a demora... mas vou te dizer tá bem difici entrar aqui pois teu blog tápesado.. quase desisto de comentar pq não estava conseguindo.. mas então muito belo teu soneto, muito bem construido e eu como sempre vejo as métricas, não me leva a mal mas o primeiro verso a sexta silaba esta fora de ordem. mas não estressa viu.. apenas observei.. o resto tem um encanto e ligaçoes muito definidas. abração meu amigo e se demorar já peço desculpas viu.. mas net ruim daqui é um problema tb.. abração

Marcos Satoru Kawanami disse...

Samuel,

Opa, legal! Gostei do comentário.

O primeiro verso é sáfico: tônica na 4ª, 8ª e 10ª sílaba.

Aqui a Internet está melhor agora, a da Vivo, mas a da municipalidade ainda é lenta. Boa é a da Acessa São Paulo, mas só de segunda-feira a sexta-feira no expediente da Biblioteca: 8:00h às 17:00h.

abraço
Marcos

Fred Caju disse...

Gostei demais. Demais mesmo. E sempre acho um perigo isso de versão final. Mas nesse caso, realmente está irretocável. Parabéns.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Fred,

Sim. Versão final é só no bairro do pé junto, aliás, hoje teve o festival das flores lá!

=D
Marcos

Rafaela G. Figueiredo disse...

"Amor não tem sentido: amor se multiplica, soma, subtrai-se, é dividido... de amor, morrendo, no entanto, eu vivo." RGF

A ambiguidade enriquece teus versos finais, mas, claro, não digo com isto q os outros perdem seu primor.
Achei digníssimos de compor um soneto!
Adorei! Voltarei. Volte sempre q puder/quiser tb.

Abraço

Marcos Satoru Kawanami disse...

Rafaela,

Obrigado pelo incentivo.

:)
Marcos

Larissa Bello disse...

É preciso realmente ser um louco herói para seguir amando o amor.


Bjos!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Larissa,

Aquele teu poema visual do infinito está chique e joiado!

;)
Marcos

Rita Freitas disse...

Belas estas palavras que cantam o amor.

Obrigado pela visita ao meu cantinho :)

bjs

Marcos Satoru Kawanami disse...

Rita,

Obrigado pelo incentivo.

:)
Marcos

Marcos Satoru Kawanami disse...

WAY OF LIFE

I have to write in English to be heard
throughout the world, sometimes, it’s necessary,
despite my speech may be an ordinary
translation of unsang songs of a bird.

I sing the dumb, the so foolish absurd
that can be seen across the planetary
delay in kindness, care, in things that vary
a lot from words of progress, words of nerd.

A happy day is truth, and can be felt
in every single word Christ said and says,
the surety of eternal happy days.

And, like a honeycomb so sweet will melt
in our mouth, are the words of truth divine
to be your way of life, and to be mine.

Nhandeara, 26 of november of 2013
Marcos Satoru Kawanami