quarta-feira, 23 de outubro de 2013

la furia - versão final


LA FURIA

Eu amo. É a única certeza minha.
Parece incongruente, à frase falta
objeto, e esvaziou-se na noite alta
do mundo, que a Plutão aqui se alinha.

Mas, desde muito infante, em mim, eu tinha
a fúria flamejante, a voz que exalta,
em tudo que se passa, a virgo arauta
da fé e da beleza, tão vizinhas...

O amor jamais acaba, há sempre um algo
além a renová-lo, incrementando
o rumo de um Quixote, o bom fidalgo...

E, assim, vou, pela Mancha, cavalgando
com a sagaz potranca que cavalgo,
por quem o amor tão sempre eu sigo amando.



Nhandeara, 23 de outubro de 2013
Marcos Satoru Kawanami