terça-feira, 21 de maio de 2013

Uma Professora Muito Maluquinha - filme nacional brasileiro



ESCOLA

Rostos risonhos, sonhos juvenis;
fraternidade, amor, palpita a vida,
a vida que começa a ser vivida,
a vida que só sabe ser feliz.

Almas atentas ao que o mestre diz,
que diz como quem canta em sua lida;
em cada aluno, a sorte prometida;
e o mestre, além de mestre: um aprendiz!

Um ar de baile espraia melodia
volátil, que veloz logo se evola
como o fresco sereno ao vir do dia.

E, a cada dia, o Sol, celeste bola,
compartilha do gozo, da alegria,
que impera e se renova em cada escola.

Dumont, 27 de outubro de 2004
Marcos Satoru Kawanami

6 comentários :

Jacques disse...

Olá, Marcos.
Bela poesia, como sempre; a escola é aquele local em que aprendemos que nossas certezas muitas vezes nada valem e conhecemos pessoas que se tornam nossas amigas para toda a vida, e isso faz dela um local realmente único, não importando que idade tenhamos ao passar por ela.
Agradeço sua visita.
Abraço.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Jacques,

A escola é um lugar sagrado, eu sempre fui feliz na escola, tanto assistindo aula quanto lecionando.

=D
Marcos

Paulo Vitor, ele mesmo. disse...

Aula boa mesmo foi as q tive no quintal de casa... rá!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Paulo,

O mineiro Ataulpho Alves escreveu a canção Meus Tempos De Criança, em que fala da professorinha.

=D
Marcos

BAR DO BARDO disse...

Gabola pelo teu soneto. Tu és muito bom no ofício. Parabéns!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Henrique,

Gabo-te sembre, bardo!

=D
Marcos