quarta-feira, 24 de abril de 2013

Justine na Padaria


JUSTINE NA PADARIA

Justine, pra teu nome não trovei
nenhuma rima aqui na padaria,
porque rimar é fácil com Maria,
mas, com Justine, a raridade é lei.

No banco do balcão me aboletei
suando a água fria da agonia
ao ver que um certo anel te bem cabias
da esquerda no anelar, e me engasguei!

Pensei: que sacanagem!, ou melhor,
que baita, que tremenda falta dela...
E... peço ao Mário um pão com mortadela!

Porém, dos males todos, o menor,
pois cessa uma sangria desatada
contemplando Justine atarefada...

Nhandeara, 22 de abril de 2013
Marcos Satoru Kawanami

2 comentários :

Ana Cecilia Romeu disse...

Marquitos,
adorei!
É fato, rimar com Justine não é muito fácil... :)
Beijos!

Marcos Satoru Kawanami disse...

mais ainda com mulher casada...