domingo, 24 de fevereiro de 2013

não tem jeito que dê jeito


LÍRIOS DO CAMPO

hebreia morena,
dei-te um lírio
por amor.
por amor,
deite um lírio
no chão frio do meu delírio,
campo gris,
quando eu não for...

Marcos Satoru Kawanami



SONETO PARALELO

Falar de Amor não vai te dar a prova
de que haja coisa sólida ou concreta
do tipo que a Ciência então não veta
a cerca de um amor que se renova.

Daí, dirá o Eu-lírico: — Uma ova! —,
pois, não se vendo o Amor, vê-se-lhe a seta
que fere o peito e a lira do poeta
em timbres que a audição assaz reprova.

Falar de Deus enseja igual polêmica,
pois, sendo uma abstração de ordem sêmica,
os olhos têm de vê-Lo por indício.

Ainda que O vejamos lá no início,
a tola confiança em nós nos trai,
querendo Deus no céu, e Deus Se vai!

Marcos Satoru Kawanami

Nenhum comentário :