segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

flor amena


FLOR AMENA - para Érica Albernaz

Notícia desta terra não me vem
à mente, se não minto a redigir
missiva tão inóspita a quem vir
e tê-la em mãos, se não cair... do trem?

Mas move-me a escrever aquele bem
que vê notícia em tudo, e põe-se a rir
até da morte inane do faquir...,
a fim de ter assunto com alguém.

Alguém que preza mais que o mundo inteiro,
no instante em que redige, pelo menos;
mas faz do mesmo instante toda a vida!

Assim, a carta segue seu roteiro,
tentando florear temas amenos
nos quais amena flor é conduzida...

Nhandeara, 31 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

para quem?


PARA QUEM?

Se cresce a Economia, o vulgo pensa
que tem mais moradia e mais emprego,
que pode ter mais filhos com sossego,
tendo escola e saúde em recompensa.

Mas vive o povo sempre numa prensa,
e a cada geração parece cego,
barganha o voto em troca dum emprego
que gera mais emprego, voto e a crença

dum econômico crescer do bem,
na constante esperança dum porvir
com mais casa, saúde, escola..., amém.

Contudo, não se diz que é regredir
a Vida do planeta que se tem,
crescendo a Economia, e para quem?

Nhandeara, 31 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Iracema 2012



VERDES MARES

Clama uma voz amiga: — "Aí tem o Ceará."
E eu, que nas ondas punha a vista deslumbrada,
Olho a cidade. Ao sol chispa a areia doirada.
A bordo a faina avulta e toda a gente já

Desce. Uma moça ri, quebrando o panamá.
"— Perdi a mala!" um diz de cara acabrunhada
Sobre as águas, arfando, uma breve jangada
Passa. Tão frágil! Deus a leve, onde ela vá.

Esmalta ao fundo a costa a verdura de um parque.
E enquanto a grita aumenta em berros e assobios
Rudes, na confusão brutal do desembarque:

Fitando a vastidão magnífica do mar,
Que ressalta e reluz: — "Verdes mares bravios..."
Cita um sujeito que jamais leu Alencar.

Fortaleza, 1908
Manuel Bandeira



IRACEMA 2012

Verdes mares bravios de minha terra
banhada pelo Atlântico abrasivo,
na qual um povo bom, feliz, festivo
outrora vi na infância além da serra...

Hoje, o que vejo é o fuzil que berra,
a lei do cão num tempo intempestivo,
a geração no crack ultra-nocivo
morrendo nesta guerra, e não há guerra!

Qualquer cidadezinha é testemunha
da sanha criminal pegando à unha
o povo que cansou de não cansar.

Mas, num sonho cravado de lacunas,
ainda vê as asas da graúna
a moça que jamais leu Alencar...

Nhandeara, 27 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

sonatina agreste - soneto ao luar



SONETO AO LUAR
para Ludwig van Beethoven

Eu lembro..., a tarde já desfalecia
quando a graça invadiu-me toda a mente,
e eu fiz-me mais dorido, mais carente
ao saber que pra sempre amá-la-ia.

Em chão sagrado tu me aparecias
deixando-me mais triste, mas contente,
numa estranha prantina sorridente
entre um Pai-Nosso e dez Ave-Marias.

Mulher, foste visão ou desatino?,
o que eu via era um anjo interior,
o qual timbrado está em teu destino.

E desse tão singelo modo foi-te
dado gratuitamente o meu amor
ao nascer da Lua, ao cair da noite.

Marcos Satoru Kawanami

domingo, 23 de dezembro de 2012

minha terra - valéria fagundes - filme da tv brasil: pro dia nascer feliz - paráfrase da canção do exílio de gonçalvez dias


MINHA TERRA
Valéria Fagundes

Minha terra por ventura
merece tal descrição
lá a vida é menos dura
qualquer um lhe estende a mão.

O céu é menos cinzento
lá não tem poluição
só existe um argumento
que me parte o coração.

Ver o povo madrugar
e seguir para o roçado
mas se a chuva não chegar
perde-se o que foi plantado.

Eu agora exilada
só me resta descrever
aqui não encontro nada
que me motive a viver.

Mas falar da minha terra,
ah, isso me dá prazer
E mesmo aqui tão distante
tenho algo a pedir.

Quero agora, neste instante
voltar para Manari
pois eu não quero morrer
sem de lá me despedir.

Valéria Fagundes
..........................................................

PS: a partir do filme intitulado Pro dia nascer feliz, que passou na sessão de cinema de sábado da TV Brasil do Rio de Janeiro, em 22 de dezembro de 2012


sábado, 22 de dezembro de 2012

Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino 2012 - Seleção Brasileira de Futebol Feminino - WSL women soccer league - Brasil 2 x 2 Dinamarca - desfile das campeãs

Seleção Brasileira de Futebol Feminino 2012


Canção Oficial da Seleção de Futebol Feminino


Érika, Cristiane, Andréia e Franciele.

Andréia Suntaque, desde os 19 anos até hoje, 35 anos, jamais
recebeu salário pela Seleção Brasileira nestes 16 anos.

Daiane Menezes Rodrigues, apelido: Bagé, cidade dela.
Zagueira segura na defesa.

Andressa Alves da Silva marcou o primeiro gol do título.

Fabiana Baiana, Débora e Rosana em ataque
fulminante na semi-final contra a mesma Dinamarca.

Fabiana Baiana ganhou todas as bolas que disputou na lateral direita
durante o torneio Cidade de São Paulo, e marcou gols eletrizantes.

Érika em foto antológica de tempos atrás.
A meio-campo e zagueira multi-função
serve o ataque com passes sempre precisos.

Selo dos Correios para o Futebol Feminino

Cobrança de lateral só vista no
futebol feminino. Érika na foto.

Cristiane Rozeira de Souza Silva, conhecida apenas como Cristiane, é a maior
artilheira da história das Olimpíadas. A atacante da Seleção Brasileira Feminina
de Futebol já fez 12 gols em três edições da competição.

Cristiane Rozeira de Souza Silva com a
medalha de prata Olímpica.

Cristiane, eterna camisa 11 da Seleção.

Marta desestabilizando a linha adversária.

Fabiana Baiana, Cristiane, Maurine, cuja falta foi lamentada,
e Marta em comemoração nas Olimpíadas de Londres.

Uma foto normal de Érika, maluca do bando.

Brasil 5 x 1 Itália em 2011


Rosana dos Santos Augusto,
ou somente Rosana, é a terceira jogadora brasileira com mais
Olimpíadas disputadas. No total, a lateral já participou de
quatro encontros olímpicos, o mesmo número da goleira Andréia.
Rosana fez parte da Seleção Brasileira nas Olimpíadas de Sydney (2000),
Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012). Além das
conquistas olímpicas, Rosana também integrou a equipe verde e amarela
vencedora do ouro dos nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro
em 2007, fez parte da Seleção vice-campeã da Copa do Mundo
na China naquele mesmo ano e foi campeã com o Brasil no
Campeonato Sul-Americano em 2010.

Rosana, camisa 8, a musa do
Torneio Cidade de São Paulo 2012

ROSANA CAMISA 8
a Rosana dos Santos Augusto

Aquele rosto oculta um bem sagrado
por entre sardas doces, delicadas,
e olhar adamantino em alvorada
na frágil condição de um desterrado.

Aquele porte atlético ensejado
por seu suor caído nas jornadas,
a cada dia, eleva-lhe, alma alada,
ao sonho o qual um dia foi sonhado...

Missão em teu desterro voluntário,
o esporte mostra apenas uma parte
de tudo quanto abriga a forma humana.

Feliz por te encontrar no itinerário
da vida que nos deu o dom da arte,
escrevo este soneto a ti, Rosana.

Nhandeara, 14 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

mamada - tamborim de gato - hoje eu vou me acabar!


MAMADA

Então..., batuque assim: cadência tipo
o nada fez-se tudo em um segundo,
cadência que resume o caos do mundo
em mapa gatoforme ao que lhe ripo!

Um gato no telhado, e eu lhe engripo
o couro: tamborim de vagabundo;
maldade!, ô dó!, e quem diz é o Edmundo...,
rapaz, um animal!; oh, me constipo.

Porém já garanti a batucada,
e o gato, na verdade, é PVC:
Poli-Vinil-of-Cat, só fiz zoada.

Desfaço uma amizade, e não você,
piada por quem dou a rima amada,
você que lê mamada quando lê!

Marcos Satoru Kawanami

No primeiro instante (x), há todo o Espaço (E) e todo o Tempo (T) a serem percorridos. Conforme caminha-se ao longo de (x), tanto para o Tempo quanto para o Espaço, (x) vai se aproximando de Infinito, e o Tempo e o Espaço vão se esgotando. E desde o começo, Tempo e Espaço estão fixos em um valor único e unitário para quem está fora do sistema de Tempo e Espaço que se analisa aqui. - O universo pode existir a muito menos tempo do que parece. - O universo pode ser muito menos extenso do que indicam as medições.

A cada passo (x) que se caminha no Tempo e no Espaço, as porções
a serem somadas ao Tempo e ao Espaço total seguem diminuindo,
conforme as equações em integral.

Mas um observador externo ao sistema de Tempo e Espaço percebe
tanto o Tempo quanto o Espaço com um valor fixo e unitário sempre
desde o começo.
1) Conclusão: o Universo pode ser muito menos extenso do que as medições indicam.
2) Conclusão: o Universo pode existir há muito menos tempo do que parece.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

último gracejo - cena final do filme noel rosa poeta da vila


ÚLTIMO GRACEJO

Nosso amor que eu não esqueço,
e que teve o seu começo
na boléia do caminhão,
dorme hoje sem chiclete,
sem Jontex e sem boquete,
sem luar, sem pegação...

Perto de você, meu calo
tanto dói, que nada falo,
tenho medo de chorar...
Nunca mais quero desejo,
mas meu último gracejo
você não pode negar:

Se alguma pessoa amiga
pedir que você lhe diga
se você me quer ou não,
diga que você patola
a xoxota, e se atola
comigo na imaginação...

Às pessoas que eu detesto,
diga sempre que eu não presto,
que meu lar é o Tribunal.
Que eu me formei em Direito,
que eu estudei por despeito,
e defendo marginal!

Marcos Satoru Kawanami

triangulo retângulo da Santíssima Trindade - demonstração de que os 3 lados são verdadeiramente infinitos quando a unidade de medida é a Unidade Absoluta, em que o denominador que divide 1 tende a infinito, e, por tanto, a unidade tende a zero. - Artifício de cálculo para resolver a dificuldade que surgiu no primeiro desenho.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino - Seleção Brasileira de Futebol Feminino - Brasil 2 x 1 Dinamarca - primeiro gol de Érika - segundo gol de Débora, após o passe preciso de Rosana

"É o jogo da nossa vida. É vencer, ou vencer!"
(Andressa Alves da Silva)

     "É o jogo da nossa vida. É vencer ou vencer!", disse Andressa Alves da Silva, lateral da Seleção Brasileira de Futebol Feminino.
      A frase não foi dita na final do mundial interclubes de hoje, que o Corinthians venceu, a frase não foi dita numa eliminatória de Copa do Mundo ou Libertadores, a frase nem foi dita numa final de campeonato. A frase foi dita em um torneio informal promovido pela prefeitura, por uma integrante de uma seleção cuja goleira, Andréia Suntaque, já há 16 anos defendendo as cores da nossa pátria, nunca recebeu salário por isso; joga pelo ideal. Ideal estampado na frase que explica a vitória por 2 vs 1 da nossa idealista Seleção Brasileira de Futebol Feminino.
     A frase foi dita em um Pacaembu quase vazio. "É o jogo da nossa vida. É vencer ou vencer!", disse sempre menina aquela mulher.

Nhandeara, 16 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami
....................................................................

Débora, camisa 20, abraçada com Fabiana Baiana, camisa 2,
marca após passe de Rosana, camisa 8, ao fundo.

     Pelo Torneio Internacional Cidade de São Paulo de futebol feminino, o Brasil encarou a Dinamarca, líder  da competição, precisando vencer para assegurar vaga na final do campeonato. E conseguiu. Com gols de Érika e Débora, a Seleção fez 2 a 1. Hansen descontou para as dinamarquesas.
     Com o resultado, as meninas do Brasil chegaram aos seis pontos, dois a mais que a Dinamarca, que torce por uma vitória de Portugal sobre o México, em partida que acontece a partir das 18 horas, para conseguir a classificação.
O resultado começou a ser construído no primeiro tempo com Érika, que subiu mais que as escandinavas para abrir o placar em cabeceio firme, logo aos sete minutos.
     Aos 27, foi a vez de a Dinamarca assustar com um bonito chute que tocou o travessão e a trave, assustando a goleira Andréia, que nada pode fazer, senão observar a trajetória da bola.
     O Brasil respondeu novamente com a bola parada, acertando o travessão dinamarquês aos 39 da segunda etapa, quando já não contava com Marta, que deixou o gramado, machucada, no primeiro tempo.
     Aos 45 minutos, Débora recebeu passe precioso e tocou por cobertura para selar a vitória e a classificação brasileira. Ainda deu tempo de Hansen descontar, de pênalti, mas a reação dinamarquesa acabou aí.
     Agora, o Brasil espera o resultado da partida entre Portugal e México para saber quem vai enfrentar na final. Apenas uma goleada por oito gols de diferença das mexicanas tiraria a primeira colocação da Seleção Brasileira. Portugal precisa de uma vitória igual para se classificar, mas nem assim alcançaria o Brasil no número de pontos.

Corinthians Paulista campeão do mundo em 16 de dezembro de 2012 - Super-Cásio, quando o goleiro é o artilheiro.

Super-Cásio on top of the world. Fez tantas defesas indefensáveis,
que valeram por gols! Foram, no mínimo, 4 defesas impensáveis.

Defendeu a meta como quem marcasse gols.

SONETO DO CORINTHIANS

O povo, na esperança, se redime
de toda frustração acumulada
em cada nova aurora mal raiada
às margens do Ipiranga, feito um crime.

O amor de uma nação, assim, se exprime
ao ver a sua esquadra não armada
lutar igual quem luta a fio de espada,
e entanto com mais brio, por ser um time!

Corinthians, time além das quatro linhas,
nação cabendo dentro de um só campo
que, pois, bem engrandeces e amesquinhas.

O coração folclórico destampo
no ritual do meu amor pagão,
dizendo: Vai, vai, vai, vai, vai, Timão!

Nhandeara, 24 de setembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

sábado, 15 de dezembro de 2012

o verso simples - unidade absoluta - triângulo da Santíssima Trindade - triângulo pitagórico



O VERSO SIMPLES
“A vida inteira eu quis um verso simples
pra transformar o que eu digo.”
(Carissa Vieira)

“A vida inteira eu quis um verso simples”
a fim de transformar tudo que digo
em melodia amiga aos meus amigos
e inimigos, amigos que hão de vir.

Que a forma, disciplina a qual eu sigo
esquivo ao verso-livre, não me prive
do livre pensamento, e um dia em fim
eu livre me desligue do que ligo.

O verso que virá resume a vida,
une as pontas e une a unidade
do que era dispersivo e sem guarida.

A vida inteira eu quis achar verdade
em toda ingratidão desmerecida,
e o verso simples sempre foi saudade.

Marcos Satoru Kawanami

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Rosana dos Santos Augusto - Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino - Brasil 1 x 2 México - Rosana, camisa 8, marcou o gol brasileiro.



ROSANA CAMISA 8
           a Rosana dos Santos Augusto

Aquele rosto oculta um bem sagrado
por entre sardas doces, delicadas,
e olhar adamantino em alvorada
na frágil condição de um desterrado.

Aquele porte atlético ensejado
por seu suor caído nas jornadas,
a cada dia, eleva-lhe, alma alada,
ao sonho o qual um dia foi sonhado...

Missão em teu desterro voluntário,
o esporte mostra apenas uma parte
de tudo quanto abriga a forma humana.

Feliz por te encontrar no itinerário
da vida que nos deu o dom da arte,
escrevo este soneto a ti, Rosana.

Nhandeara, 14 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Corinthians x Chelsea - The Battle of Saint George - Saint George of England - The Legend of Saint George - São Jorge do Corinthians Paulista - A Lenda de São Jorge - The match of the millenium - O jogo do milênio



THE BATTLE OF SAINT GEORGE

         So, in that night, Saint George stared at the moon, and thought:
         —What the fuck!
         He had to care ever and ever for his dear England, but… At that night, an even greater passion yelled deep in his intempestuouse knite heart, the Corinthians Paulista Team! Oh my, oh my…
         —Oh my… Corinthians or Chelsea? For which team shell I fight in this night of battle? Alea jacta est!
         In this moment, his mighty horse dropped a mighty excrement. The dragon verified if it’s nails were well cut… And poor George stared at the moon:
         —What the fuck!
         And, from this night on to eternity, Saint George is living at the moon.
         Because of the match Corinthians vs Chelsea, the thunderstorm of the millenium, a legend knowned as The Battle of Saint George… against himself.

Nhandeara, 13 December 2012
Marcos Satoru Kawanami

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

PACAEMBU crônica humorística - WSL women soccer league - Seleção Brasileira de Futebol Feminino - crônica futebolística - crônica de futebol feminino

Érika cobrando lateral em cambalhota.

PACAEMBU

     Nublada manhã de domingo em Sampa, a cidade maravilhosa. Pacaembu lotado até a tampa para o jogo da Seleção Brasileira Feminina de Futebol de Campo Natural do Tipo Grama Mesmo.
     Marta, camisa 10, cinco vezes melhor do mundo pela FIFA, Cristiane, a malabarista, e Fabiana Baiana compondo o ataque. No gol virginal, Andréia, virginal no sentido de “aqui termina invicto”, termina o jogo invicto, ou, quanto mais falo mais me enrolo; transmissão ao vivo é fogo... Armando as jogadas está Érika. Maurine é desfalque triste para todos.
     Do lado oposto do retângulo das bermudas, estão as Guerreiras de Dom Sebastião, raparigas de dotes fenomenais que as ouvintes da Rádio Antenada não poderão desfrutar, digo, são de elevado grau técnico, e a amiga ouvinte há de ter precisa idéia do que se passa em campo. Inclusive, lá está o repórter Euclides. Cruza daí, que eu mato nos peitos daqui, Euclides!
     —Bom dia, Luciana Montanha! Eu estou aqui com o técnico de Portugal, para ilustrar o que será o adversário do Brasil hoje. Uma palavra, mister, por favor, uma palavra sobre a sensacional revelação portuguesa Ana Borges, jogadora do Zaragoza, que hoje enverga a camisa 9 em vez da 16. Por que a mudança?
     —Conquistou.
     —Não entendi.
     —Ó gajo, vocês brasileiros são burros, ié? Tu pediste 1 palavra. Ora, resumi em 1 palavra. Mas se queres que eu diga tudo, vá lá! Iela conquistou a camisa titular, ó pá! Seja mais racional, seu puto.
     —Puto é a mãe, pra começo de conversa. Tá bom para o mister?
     Mister, mister! Não dê ouvidos ao puto Euclides, é que a esposa dele acabou de meter-lhe um par de chifres durante a Guerra de Canudos.
     —E eu tenho lá de ver com isso?
     —Luciana, que parada é essa de chifres?
     Ih, falei. Você ainda não sabia?
     —Não.
     O corno é sempre o último a saber...
     —Haaa —faz o mister— toma!
     —Eu estou trabalhando. Portuga já parte logo para a ignorância...
     —Quem botou a mãe no meio foste tu, seu puto.
     —E pára de me chamar de puto.
     —Antes que eu me esqueça. Ié, partimos mesmo para a ignorância: não põe a mãe no meio, senão eu ponho no meio da mãe!
     —Ah, é?
     —Não sei não. No teu caso, é no meio...
     Corta o link! Desiste desse portuga. Passa a escalação lusa.
     —Cacetão...
     Opa, já deu de baixaria.
     —Cacetão, número 11. Cabeleira, número 10. Ana Borges, número 9... Miss Universo, número 1 no gol.
     Quem apita é a libriana Joaquina Barbosa, árbitra renomada pela dura lex sed lex. Bandeirinhas Carretel e Dona Linha.
     Começa a partida no Pacaembu!
     Se manda Érika, descola o lançamento. Fabiana Baiana está impedida. Eu vi na mesma linha. A bandeirinha Carretel não quis dar linha não.
            Ana Borges dispara, mete entre as pernas da oponente, a bola quica; que é isso? Eu vi Ana Borges fazer um chapéu cinematográfico, e lança Cacetão na grande área. Encosta Cabeleira pra receber Cacetão. Bagé estraga a festa e bota Cacetão de lado. Cacetão cai e se enrosca com Cabeleira, num lance pra lá de duvidoso... Será que é lance pra cartão, minha Neta?
—Olha, vovó, Dona Linha não deu nada e sinalizou para a árbitra. Não é costume da Bagé cometer um pênalti assim... A arbitragem manda seguir, minha vó.
            Falou, minha Neta. Agora é a Marta com o balão, começa tudo de novo, Bagé, pra Érika, lança Cristiane em situação irregular. Mas a bandeirinha Carretel deu linha; olha o perigo! Detona o bambu Cristiane! Miss Universo vai lá onde o morcego se pendura. Agora, Marta à queima-roupa. Que elasticidade bestial! Miss Universo não deixa as bola entrá, queridas ouvintes. Este lance foi tão bom quanto pintar como eu pinto.
     Depois dessa, a gente não sai daqui no zero a zero...

Nhandeara, 10 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

domingo, 9 de dezembro de 2012

Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino 2012 - Brasil 4 vs 0 Portugal - destaque Ana Borges, que hoje jogou de número 9 - Teledifusão da BAND

Cristiane 11, marca o primeiro gol do Brasil, após passe de
longuíssima distância feito por Marta 10.

     Em dezembro de 2009 foi realizado o 1º Torneio Internacional Cidade de São Paulo de Futebol Feminino, no Estádio do Pacaembu.
     Com as presenças de Brasil, China, Chile e México, o torneio rapidamente se tornou um sucesso de público, com mais de 25.000 pessoas na final, além de atingir números expressivos de audiência.
Em 2010,  o sucesso se repetiu, com as presenças de Brasil, México, Canadá e Holanda. Apesar do título das canadenses sobre o Brasil na final, o grande destaque foi novamente a Rainha Marta, Melhor Jogadora do Mundo pela FIFA por cinco anos consecutivos.
     Desde então, o Torneio começou a fazer parte do Calendário oficial da Cidade de São Paulo, e se consolidou como o mais importante evento internacional de futebol feminino no Brasil.
     O Torneio resgatou o jogo de futebol como um passeio familiar, com muitas mulheres e crianças lotando as arquibancadas do Pacaembu, em clima de paz e alegria.No ano passado, em uma disputada final contra a Dinamarca, as brasileiras se sagraram campeãs.
     Este ano, as Dinamaquesas exigiram a revanche e, junto com o México e as estreantes portuguesas, vêm ao Brasil em busca do caneco.

fonte: http://www.sportpromotion.com.br/torneiosp/?page_id=76


JOGO DE 09/12/2012 BRASIL 4 vs 0 PORTUGAL

Ana Borges jogou com a 9 hoje.

Destaque para a atacante lusa Ana Borges, hoje jogando com a camisa número 9, hábil e ligeira, sebrecarregou de esforço nossa  zagueira Bagé, melhor em campo junto com a armadora Érika, servindo de passes precisos tanto a Marta e Cristiane quanto à revelação da partida, a lateral Fabiana Baiana, que marcou um gol eletrizante para a torcida, na qual foi possível ver algo raro e bom: um corintiano sentado ao lado de um palestrino, ambos trajados a caráter, na fraternidade natural que sempre o Futebol Feminino enseja.
Transmissão da TV Bandeirantes de São Paulo.

Nhandeara, 9 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

sábado, 8 de dezembro de 2012

mamada - Conheça o primeiro homem que usou couro de gato no tamborim - samba "Água Benta" - TV PIRATA = AS PRESIDIÁRIAS


MAMADA

Então..., batuque assim: cadência tipo
o nada fez-se tudo em um segundo,
cadência que resume o caos do mundo
em mapa gatoforme ao que lhe ripo!

Um gato no telhado, e eu lhe engripo
o couro: tamborim de vagabundo;
maldade!, ô dó!, e quem diz é o Edmundo...,
rapaz, um animal!; oh, me constipo.

Porém já garanti a batucada,
e o gato, na verdade, é PVC:
Poli-Vinil-of-Cat, só fiz zoada.

Desfaço uma amizade, e não você,
piada por quem dou a rima amada,
você que lê mamada quando lê!

Nhandeara, 8 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami


TV PIRATA: as presidiárias
samba: ÁGUA BENTA

No Presídio da Água Benta,
o segredo é o Biotônico,
alegria das detentas
e do samba estereofônico.

No Presídio da Água Benta,
houve um samba estereofônico;
foi no dia em que as detentas
receberam Biotônico.

Regininha foi dizendo:
—Abre a boca, dona moça!
E, a primeira entorpecendo,
as demais, num coça coça,
acorreram que só vendo...

Vi bebinha daqui. Vi bebinha dali.
Sambando na Sapucaí. (refrão)

Mas, quando o samba acabou,
aquela nuvem cinzenta
que sempre volta voltou
ao Presídio da Água Benta...

Nhandeara, 8 de dezembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami