segunda-feira, 26 de novembro de 2012

sem um puto no bolso - revista o jogo: roubaram o puto cristiano ronaldo - Raparigas, enviai vossos consolos.



SEM UM PUTO NO BOLSO

Não vejo, nestes dias sem paisagem,
propícia ocasião de honrar lavor
em vista a ter futuro promissor,
poupando o da velhice na bagagem.

Contudo, trabalhar não é bobagem,
se o método empregado houver favor,
e a prática do olhar me faz supor
que método certeiro é a vadiagem.

Pois sempre a vadiagem riu à toa:
“comeu, bebeu, fodeu sem ter dinheiro”,
e sai na foto bem — é gente boa!

Já quem trabalha chora o ano inteiro
na fila do humilhante, sem um puto
no bolso, furado em sinal de luto.

Marcos Satoru Kawanami

4 comentários :

byTONHO disse...



Quando EU era "puto",
pedia dinheiro ao meu pai
e ele respondia:
-- Tô sem um puto... guri de merda!

:o)

Marcos Satoru Kawanami disse...

Tonho,

Eu só andava com vale-transporte, e nada mais. As raparigas diziam:

-Aquele puto não tem nem um puto na algibeira, ó pá!

Jacques disse...

Olá, Marcos.
Curiosamente, existem pessoas sem dinheiro que são felizes e outras com muito dinheiro que são totalmente infelizes.
Acho que tudo depende da maneira que se enxerga e se leva a vida.
Acredito que, assim como a poesia, meus diálogos também se percam se não forem anotados em algum lugar.
Essa deve ser a maldição de todo escritor.
Abraço.

byTONHO disse...



Falou Marcos!
Obrigado pelo POEMA comentário
no arquitetonho,
o Arnaldo é D+!

:o)