terça-feira, 20 de novembro de 2012

João Nogueira - Espelho



SONETO DO ESPELHO

Se tu pensas que podes te enganar
dizendo-me que não sentes saudade
de tudo que tinhas na mocidade,
mas levaram os anos devagar,

aqui vou clarear tua memória
mostrando quão tenra foi tua face
antes daquele triste desenlace
que deste a da tua vida a história:

tinhas saúde, porém não gozaste;
tua mente pensou, mas pouco agiu
sobre teu corpo que a si consumiu;

e resultando tudo neste traste,
quando bem me olhas só vês um velho
cujo impulso é quebrar o próprio espelho.

Galeão, 17 de novembro de 1998
Marcos Satoru Kawanami