sexta-feira, 26 de outubro de 2012

gaby - gabriela cravo e canela - jorge amado - caatinga nordeste agreste semi-árido e zona da mata atlântica folclore da bahia do cacau de ilhéus de coronel corno manso rapariga e puta bordel bataclan cabaré - novela de walcyr carrasco veiculada pela rede globo - sátira humorística de marcos satoru kawanami - último capítulo da novela - um romance muito bem escrito - uma novela muito bem gravada - memorável - comédia



GABY

Gabriela, cravo e canela:
vestida de trapo, é joinha;
descalça e fedendo, é donzela;
pro turco Nassib, é rainha!

Prepara quitutes gostosos,
e os entrega a Nassib no bar,
ao que dizem os invejosos
que ela “entrega” também no lar...

Acontece que Jorge Amado
inventou uma rapariga(*)
das fantasias de abestado;
Ilhéus, em coro, que o diga:

Gabriela, se tem seqüela,
se tem chulé, se tem remela,
se tiver siso ou for banguela,
para Nassib e Jorge, é bela!

Nhandeara, 14 de setembro de 2012
Marcos Satoru Kawanami

(*) Rapariga no sentido lusitano, feminino de rapaz.

Nenhum comentário :