sexta-feira, 29 de junho de 2012

Teologia da Computação - sistema binário - idéia de adão - o inverno - música, tabaco e literatura - cérebro, alma e o HD celeste

Música Tabaco Literatura

IDÉIA DE ADÃO

Não é verdade que eu só diga não
a quem só queira ouvir meu doce sim;
sim, é verdade, sempre tem de mim
paciente ouvido a boca da razão.

Se almejo ir além da compreensão
a matutar até ficar carmim,
é bem capaz que eu fique mesmo assim
porque só tenho idéia de Adão!

Que foi este soneto até aqui
— além da praxe da enrolação —
mais do que ir alternando im com ão?

Acabe de Goiás todo o piqui,
paciente ouvido à boca da razão,
humano é o nome da contradição.

Marcos Satoru Kawanami
...


Cérebro, Alma e o HD Celeste

       O vivente sem um braço mantém a consciência de si, o braço não contém a sua essência. O vivente sem os olhos mantém a mesma consciência, os olhos não contêem a sua essência. O vivente que perde parte do cérebro, e volta a si, não tem sua essência em todo o cérebro, mas em alguma parte do que lhe sobrou do cérebro.
       Daí, se isolássemos a parte do cérebro que detém a consciência de si do cidadão, e a mantivéssemos em condições vitais, estaríamos preservando a essência de um ser humano e o mantendo realmente vivo?
       Então haveria de ser um pedaço de massa encefálica o ser humano em si, a sua essência?
       Talvez, esta parte de cérebro seja um magnífico hardware onde atue o software que tenho por costume denominar alma.
       E, caso este software não saia do hardware após a pane geral e cabal, será possível que uma espécie de antena transmita, em tempo real on-line, atualizações do vivente para um back-up superior?

Nhandeara, 29 de junho de 2012
Marcos Satoru Kawanami




       A gente não é fisicamente e quimicamente o mesmo que era na infância, ou mesmo há alguns dias atrás; os elementos de nosso corpo mudam e se renovam com o passar do tempo; mesmo o cérebro, que se mantém mais estável, muda e se renova com o tempo, conexões são feitas e desfeitas a cada instante entre os neurônios, e os elementos químicos entram e saem de lá.
       De maneira que o hardware cerebral altera-se com o tempo, enquanto que o software alma mantém-se o mesmo; por isso mantemos a unidade da consciência de nós mesmos durante a vida, somos a mesma alma do começo ao fim da vida.


Nhandeara, 4 de julho de 2012
Marcos Satoru Kawanami

6 comentários :

Adriana Godoy disse...

Só não entendi o "ção" de compreensão.

O resto tá uma beleza! beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Vou corrigir. Finalmente alguém corrigiu; este soneto fora postado antes, mas ninguém me avisou do meu erro, daí está errado lá no arquivo PDF à disposição para download no site do MEC.

beijunda
Marcos

BAR DO BARDO disse...

É pra caba com o pequi do Goiás
É pra roer todo o queijo de Minas
É pra beber todas pinga do Brasil
A paixão que eu sinto nessa menina



...

Você é muito engraçado, Marcos, embora às vezes exagere na carga. Mas, aqui, o principal é o seu barroquismo, digno de Pe. Vieira.

Gostei dos dois textos!

Parabéns!

Adriana Godoy disse...

Marcos, que bom que vc gostou da correção ortográfica. Fiquei meio na dúvida se deveria ou não. Mas, enfim, o que vale são seus poemas barroquistas ou não. Beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Henrique,

Eu sou padre, só não fiz os votos. É ruim, eim, mano bro!

;p

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Corrija-me sempre, pois eu erro muito e preciso de ajuda.

BjóKawanami