terça-feira, 5 de junho de 2012

mini-série cornos: 3) amor de corno - inspirado no filme "O diabo a quatro" com Maria Flor vivendo um triângulo amoroso com Marcelo Faria e Márcio Libar, o qual disse a expressão "amor de corno" no programa Cadernos de Cinema da TVE para definir o amor de um dos personagens do filme



AMOR DE CORNO
(inspirado no filme “O diabo a quatro”)

Eu devo ser tratado como um verme:
qualquer castigo é pouco para corno,
conforme diz o povo; e pese o adorno
sobre a minha cabeça a entreter-me...

Quando ainda eu gozava na epiderme
o tátil gozo do teu corpo morno,
delegava ao sabão, vassoura e forno
o afeto que não pôde comover-me.

Mas neste pranto em forma de bolero,
eu me humilho até o cúmulo do brega
se ter-te novamente é o que mais quero!

Na fossa a gente vê que o bicho pega,
na lata implorarei sem lero-lero
até que desta voz não reste prega!

Marcos Satoru Kawanami

5 comentários :

Ana Chamilete disse...

Olá, obrigada pela visita no meu blog, volte sempre.
Sim arquitetura é bem isso que você falou mesmo. :) Beijos, beijos.

http://deargirlsupdated.blogspot.com

BAR DO BARDO disse...

Não basta ser corno, tem que convencer e persuadir.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Ana,

Obrigado também.


Henrique,

Cornologia é uma ciência na da qual eu prefiro não tomar ciência.


beijundas
Satoru

Paulo Vitor Cruz disse...

"qualquer castigo é pouco pra corno" me fez sensibilizar pela causa galhuda... pobres cornos.

Cissa Romeu disse...

Marquitos,
'o pior corno é aquele que não quer enxergar'.

Beijos!