domingo, 13 de maio de 2012

dia das mães - ser mãe - Coelho Neto


PATROCÍNIO CULTURAL



Mãe de árbitro é a única que não perdoa.

Se mamãe tivesse me tido antes, eu seria mais velho.


"É a mãe!"
(Mãe do Capitão Nascimento, com as mãos para o alto)

“Mãe é uma só.”
(Quíqueo, erudicto do futebol romano na Antigüidade Clássica)


"Se minha mãe fosse homem, eu teria dois pais."
(Flávio Prado, jornalista por esporte, e irmão gêmeo de Marco Nanini)

“Mãe é mãe, vaca é vaca.”
(Boi Bandido)

“Amor é um não foder em um vai se foder!”
(Mamãe, transcrevendo Camões para verso alexandrino)




mamãe antes do Avon Renew

mamãe depois do Avon Renew

SER MÃE

Ser mãe é desdobrar fibra por fibra
o coração! Ser mãe é ter no alheio
lábio que suga, o pedestal do seio,
onde a vida, onde o amor, cantando, vibra.

Ser mãe é ser um anjo que se libra
sobre um berço dormindo! É ser anseio,
é ser temeridade, é ser receio,
é ser força que os males equilibra! 

Todo o bem que a mãe goza é bem do filho,
espelho em que se mira afortunada,
Luz que lhe põe nos olhos novo brilho! 

Ser mãe é andar chorando num sorriso!
Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!
Ser mãe é padecer num paraíso!

Coelho Neto *


* Coelho Neto (Henrique Maximiano C. N.), professor, político, romancista, contista, crítico, teatrólogo, memorialista e poeta, nasceu em Caxias, MA, em 21 de fevereiro de 1864, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 28 de novembro de 1934. É o fundador da Cadeira n. 2 da Academia Brasileira de Letras, que tem como patrono Álvares de Azevedo. Cultivou praticamente todos os gêneros literários e foi, por muitos anos, o escritor mais lido do Brasil. Foi amigo de juventude de Olavo Bilac, e se divertiram em uma boemia saudável, conforme a minha opinião, tendo  eu lido a biografia de Olavo Bilac escrita por Fernando Jorge.