quarta-feira, 25 de abril de 2012

DNA sintético - synthetic DNA - vontade absoluta e manifestações convencionais da mesma vontade



No princípio, era o Verbo...

            O ato é convencional, a vontade é absoluta. A mesma vontade pode se manifestar diferentemente em atos diversos. Pois todo ato depende da matéria, e resulta de uma vontade. E, se todo ato resulta de uma vontade, no encadeamento de atos e vontades fisiológicas cerebrais, a Origem é uma Vontade sem ato precedente (vontade alheia a qualquer convenção material), que desencadeou todos os atos e vontades fisiológicas cerebrais; portanto, essa Vontade não pode ter origem fisiológica cerebral: a alma do índio botocudo.
            Do contrário, o funcionamento cerebral seria algo sem começo, que sempre existiu materialmente? Mas a Matéria existe a partir de quê? Mesmo que a Matéria sempre tenha existido, os atos da Matéria, à semelhança da fisiologia cerebral, têm origem numa Vontade; senão o Universo seria um moto-perpétuo, que é um conceito do Mundo Ideal já exaustivamente descartado do Mundo Material. E, mesmo que o Universo fosse um moto-perpétuo, teria entrado em andamento sem uma causa, sem algo precedente ao Universo que o colocasse em andamento? Teria, então, a matéria, e seu movimento também, se auto criado do nada?
            “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus, e o Verbo era Deus. Tudo foi feito por meio dele, e sem ele nada foi feito de tudo o que existe.”, diz o capítulo 1 do evangelho de São João.

Nhandeara, 27 de novembro de 2010
Marcos Satoru Kawanami
...........

Neste ano de 2012, o Jornal Nacional anunciou a criação de um tipo de DNA sintético com estrutura diferente do natural, levantando novamente a possibilidade de seres vivos alheios ao nosso planeta, o que reforça a tese de que a vontade é absoluta, e as manifestações de uma mesma vontade são convencionais. (25 de abril de 2012)