sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

sempre apenas



SEMPRE APENAS

O que eu amava era o próprio Amor,
e eu não sabia, e ia procurando
em tudo quanto ia assim amando,
e sempre assim achando a rima dor.

Então, vejamos, põe zelo, leitor:
difuso guia, ao cego mais cegando,
fazia eu de mim mesmo sempre e quando
metáforas tirava de uma flor...

Agora, sendo finda a primavera
atípica e hostil dos anos meus,
ameno é o verão por sobre a terra.

Entendo a busca, a qual então se deu.
e pela qual o errante tanto erra
amando, em tudo, sempre apenas Deus.

Marcos Satoru Kawanami

4 comentários :

tonholiveira disse...



Que gente mais 'facebuqueira'
ou 'faz-se de boqueteira...
Ficam "orkurtinco lá no face
a tarde inteira!

Abaixo a "okurtização"!

Vamos visitar os Blogs.
Vamos Comentar!

A Blogosfera tá uma merda,
os ratos, saudosos do orkut, estão abandonando o BARCO da Blogger, migrando para o facebook e 'orkutizando' aquela zorra!

Tu linka, linka, nas postagens e os caras não entendem!
...

Ah!
O soneto?
Sô neto de punheteiro, ops, poeteiro!
Tá dos BOM, como sempre!
DEU-Se bem!
GOD é Good!

Quanto a primavera,
PRIMAVerão virá, verás!

Abraço-tchê!
por trás pra acalmar o 'tezão', ops, a tensão!

:o)

Palavra de verificação:
quudis = cu, diz?!

Adriana Godoy disse...

Marcos e Tonho, primeiro um soneto avassalador, ele amava o amor.

Segundo o que o Tonho disse faz sentido e, confesso, tenho me perdido nesse mundo do face. Mas o blog é um espaço do qual não abro mão.

Beijos

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriantonho Godoliveira,

Prefiro o Blog, ficar on-line deixa-me on-lona.

Sou das antigas, não sou vovô, mas tenho a referida mania de, na secura, ser auto-suficiente...


XD
Satonto

Cissa Romeu disse...

...apenas Deus
que me fez esquecer a mulher de outrora.

Com um soneto maravilhoso destes e o pessoal discutindo sobre face e não sei o quê mais... acho que eu é que sou das antigas, onde as pessoas sentiam as poesias de verdade, as feitas com alma, como as tuas Marcos, e completadas pelo leitor.

Beijos :)