quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

de perdoar



DE PERDOAR

É boa a alma, mas a carestia,
os desencontros da matéria, e mais:
de tudo que pertence aos animais
a fim de nos levar a alegria,

conduzem nossa sina sobre a via
crúcis da redenção em desiguais
e justos descaminhos, para os quais
em caos ordeiro o povo nasce um dia.

Assim, a boa alma, na matéria,
não pode ser tão boa quanto quer,
porquanto é a barriga na miséria.

A carne é fraca, sempre que quiser
terás o meu perdão; a escrita é séria,
diversa do rancor, que me é pilhéria.

Marcos Satoru Kawanami

7 comentários :

Jaime Guimarães disse...

Grande poeta Satoru, muito obrigado! Infelizmente já estive em cursos de licenciatura ( pedagogia e Letras) ministrando oficinas e a constatei que poucos alunos daqueles cursos apreciavam leitura - só liam mesmo os textos da faculdade "na marra". Como estes futuros profissionais do magistérios estimularão a leitura aos pequenos? =(

"Triste fim de Policarpo Quaresma" eu li ainda na adolescência graças à professora de literatura lá do colégio. Grande livro!

E seus sonetos cada vez melhores!

=)

Adriana Godoy disse...

marcos, triste fim de policarpo acabei de reler.muito bom, soneto dos mais porretas o seu, de perdoar e rezar. beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Jaime,

Tens razão. No meu caso, eu li tanto na adolescência, que poucos livros hoje me parecem acrescentar algo, começo a ler e vejo falta de originalidade; best-seller então parecem bost-$eller ou besta $ellar.

XD
Satonto

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Tu és um ser humano, tens visto de nossa espécie em Belo Horizonte?

;*
marquitos

tonholiveira disse...



Clap! clap! clap!

"Aplaudo de PÉ...rdoar!"

:o)

bella ferraro disse...

Também li Lima Barreto e os melhores na adolescência... e também estive na Letras e na Licenciatura, quem diria... :)

O soneto é realmente digno de aplauso.

Paulo Vitor Cruz disse...

"A carne é fraca, sempre que quiser / terás o meu perdão"

diz mto de mim... identifiquei com isso..

outro abraço.