terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Na memória só oque amo! - o poema mais belo de minha vida que eu jamais escreverei

"A memória guardará o que valer a pena. A memória sabe de mim mais que eu;
e ela não perde o que merece ser salvo."Eduardo Galeano
foto(de celular) e criação Anna Gonçalez

Na memória só oque amo!

Os dias tem passado como a chuva que cai, sem muita ordem, sem muito sentido, ela obedece a lei (da gravidade), ela permeia coisas e lugares que ela gostaria de visitar por mais tempo, mas não é permitido...ela tem que correr..A chuva!

Não é sempre bem vinda...a chuva, mas ela vem...por que nem todo bem é necessário, e nem todo mal é ruim!

A vida é uma charada, um labirinto, as vezes vc se acha, as vezes (quase sempre) vc se perde.

Nem os mais espertos sabem oque vai acontecer ao virar a esquina, tudo pode mudar, mas não muda!

A vida se apresenta, vc convida ela pra entrar....ela entra faz festa e depois parte!

Daí fica a força de viver ,a vida fora dela, sem ela....só comigo!

Covardia é convidar pra dançar e não entrar na dança!

O Amor é a coragem de um e a covardia de outro!

As ruas são um caminho mas não levam a lugar nenhum...sem mapas são só ruas!

Quisera poder acreditar em  outras vidas, para que tivéssemos o consolo de saber que reencontrar-se seria apenas uma questão de tempo ou de vidas!

Queria poder me sentir em casa novamente, fora num abraço, num beijo ou num lugar!

Me perdi de mim, dos lugares, das pessoas...

Perdi muito que nunca tive!

as vezes quase sempre eu tinha vontade de chorar, já não dá pra chorar
 ...

mas mesmo assim de vez em quando eu choro!

porque de verdade na memória eu amo demais!

as lições de que o amor é um dar sem querer nada em troca, aprendí sem receber!

estou vivente...estarei amante....espero não ficar demente!

E se ficar que na memória permaneça só oque amo!

Anna Gonçalez
...
Tive a felicidade de conhecer Anna em minha infância, a brincar na casa do meu querido amigo Chiquinho, seu irmão.