terça-feira, 30 de agosto de 2011

Fabiana Murer: primeira medalha de ouro do atletismo brasileiro em mundial.



A brasileira Fabiana Murer conseguiu fazer história no Mundial de Atletismo em Daegu, na Coreia do Sul. Ela conseguiu a melhor marca do ano ao saltar 4,85m na final, rivalizando com a alemã Martina Strutz - que acertou seu salto a 4,80m mas errou os seguintes, garantindo o ouro inédito na carreira da atleta brasileira.

A marca é ainda maior para o Brasil: é a primeira medalha de ouro da história do atletismo brasileiro em Mundiais, tanto nos naipes masculino como feminino. Com a marca, ela conseguiu ainda ao menos igualar o recorde sul-americano, de 4,85m, ficando com o ouro mesmo sem precisar acertar um salto nos 4,90m.
A principal rival de Fabiana na prova, no entanto, não foi a musa russa Yelena Isinbayeva, única mulher a saltar acima da marca dos 5m - mas sim Martina Strutz. A atleta germânica converteu o salto nos 4,80m, mas errou suas tentativas nos 4,85m e 4,90m, depois de ver Murer acertar o de 4,85m - que lhe rendeu o ouro.

Isinbayeva, por sua vez, não conseguiu ultrapassar os 4,80m. Em seu retorno ao esporte nesta temporada, ela não conseguiu saltar na marca que a derrubou nenhuma vez em 2011. Classificada após saltar 4,65m, ela ainda tentou saltar os 4,75m uma vez e errou. Depois, decidiu partir direto para os 4,80m, errando suas duas tentativas e sendo eliminada, ficando apenas com a sexta colocação no geral.

A brasileira Fabiana Murer
no seu salto de 4,85m
A brasileira ainda tentou dois saltos a 4,90m e um a 4,92m, para tentar liderar o ranking mundial do salto com vara e melhorar o recorde sul-americano, mas já sem tanta concentração pelo ouro garantido, ela não acertou nenhuma das três tentativas. Foi, ainda, a primeira vez que ela vence um Mundial em pista descoberta - ela havia sido campeã Indoor em Doha, no Catar.

É a maior glória da carreira de Fabiana às vésperas do Pan-americano e dos Jogos Olímpicos de Londres-2012. A brasileira ficou próxima do ouro olímpico em Pequim-2008, mas viu o sumiço de suas varas a atrapalhar psicologicamente durante a final - vencida por Isinbayeva na ocasião - em um dos seus momentos de melhor forma técnica.

Após viver o pior episódio de sua história no esporte, Fabiana renasceu para o esporte. Depois de ser orientada pelo técnico Vitaly Petrov em conjunto com seu treinador brasileiro, Elson Miranda, ela foi campeã do Mundial Indoor em Doha, e ainda foi campeã da Liga Diamante em 2010. Em 2011, não teve um bom começo de temporada, mas melhorou após a metade do ano, coroando a boa fase com o ouro no Mundial de pista aberta.
fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários :

Paulo Vitor Cruz disse...

É estranho como a gente se orgulha de certas coisas que nada tem a ver com a gente, né? Eu me orgulhei dessa chica ae.

abraço, cara.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Paulo,

Chamar uma mulher de chica não me parece apropriado.