quarta-feira, 16 de março de 2011

The Pursuit of Happyness - A Procura da Felicidade - felicidade canina - otimismo é fundamental - Will Smith - a quote of Oscar Wilde - última composição de Noel Rosa: humor até o fim - Rolando Boldrin


"Friends are friends when they don't even know why they are friends."
(Rolando Boldrin)

"I think that the sufferings of this present time can not be compared to the glory which shall be revealed in us..."
(St. Paul, letter to the Romans 8:18)

"Ambition is the last refuge of failure."
(Oscar Wilde)


FELICIDADE CANINA
(the pursuit of happyness)

Um tal instinto bom eu tenho tido,
que desde a aurora tosca de menino
conduz-me em descaminhos cujo tino
teria diplomado um falecido.

Por mais que me quisesse desistido
o mundo de cumprir o meu destino,
o bom talante alegre e olhar canino
feliz em si tem sempre persistido.

Cachorros são felizes porque querem:
lá na indigência hostil do viaduto,
ou no trabalho árduo do polo.

E nesse olhar canino que os diferem,
conforme é mais o afável que o astuto,
pessoas há que têm dos anjos colo.

Marcos Satoru Kawanami
...........................................................................


CHUVA DE VENTO (1) – embolada (29 de abril de 1937)
(Noel Rosa)

Chuva de vento
É quando o vento dá na chuva.
Sol com chuva,
Céu cinzento,
Casamento de viúva.

Zeca Secura
Da fazenda do Anzol,
Quando chove não vê sol,
Vai comprar feijão no centro:
Bebe dez litros
De cachaça em meia hora,
Pra agüentá chuva por fora,
Tem que se molhar por dentro.

Vento danado
É aquele lá de Minas,
Sopra encima das meninas,
Diverte a população.
Até os velhos
Vão correndo pras janelas
Para ver se alguma delas
Já usa combinação.

Faz sol com chuva,
Tem viúva lá na Penha,
Não há viúva que tenha
Tanto pretendente junto:
Nessa corrida
Da viúva de seu Mário,
Quem for vencedor do páreo,
Ganha resto de defunto...

Quem nunca viu
Chuva de vento à fantasia,
Vá em Caxambu de dia,
Domingo de carnaval.
Chuva de vento,
Só essa de Caxambu:
Domingo chove chuchu,
E venta água mineral.

Um Zé Pau d’Água
Tem um amigo parasita,
Não trabalha e sempre grita:
Viva Deus e chova arroz!
Gritando assim
Do seu povo ele se vinga:
Viva Deus e chova pinga,
Que o arroz nasce depois!

Muita gente desconfia
Dessa chuva à fantasia
Que eu vi em Caxambu.
Se o espanhol
Contar a dele, não me ganha.
Vai dizer que lá na Espanha (2)
Chove bala pra chuchu.

(1) Apontada como a última composição de Noel Rosa, que morreu de tuberculose pulmonar 5 dias depois, em 4 de maio de 1937, aos 26 anos de idade. Melodia perdida.
(2) Alusão à revolução espanhola iniciada em 1936 por Francisco Franco, que tomaria o poder em 1939, com auxílio de Hitler e Mussolini. Esta estrofe não foi recitada por Almirante.
Recitada parcialmente por ALMIRANTE durante o programa No Tempo de Noel Rosa de 31 de agosto de 1951 levado ao ar pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro.
...........................
algumas canções das quais sou ouvinte: http://blip.fm/mskawanami

4 comentários :

Paulo Vitor Cruz disse...

cara, q raridade.. massa isso..
me deu aqui vontade de ouvir Noel Rosa..

*feliz domingo, brou..

abraço grande.

Teca Eickmann disse...

Como sempre, você me surpreendeu. Muito legal.

Teca Eickmann disse...

Não foi sonho, nem pesadelo.
Tem a ver com a emanação de energia entre gente muito amiga que não se via tanto.
O texto descreve êxtase.
Era pra descrever.

ZOENI TOMPAKOW disse...

Oi Satoroo!!!! Quantos séculos! Saudades!Legal seu blog, bom ter um cantinho nosso né mesmo?
Harumi que me passou ele e voltarei aqui de vez em quando, super beijo!!
:))
To indo lá ver suas musicas!
hehe