quarta-feira, 30 de março de 2011

Modern Times - Tempos Modernos - Paullet Goddard - Charles Chaplin - movie classics - sonnets: to Charlie and Paulette

Modern Times (film) - Paulette Goddard

MEMÓRIA DO FUTURO
ao Charles Chaplin

Era um retrato cinza, preto e branco...
do tempo dos antigos, de primeiro,
quando a morte assombrava o mundo inteiro
e o fuzil vitimava a cada tranco.

Em uma vila, à beira de um barranco
de escombros e despojos de guerreiro,
tendo ao fundo o adejar de um bombardeiro,
chorava uma criança sobre um banco.

Fechada a boca, lágrimas desciam
silentes sobre o espelho da lembrança,
e no sangue do chão se diluíam...

É toda a espécie humana esta criança,
e as lágrimas que dela se esvaíam
sustentam nova edênica esperança.

Marcos Satoru Kawanami


Paulette Goddard

MOVIOLA
à Paulette Goddard

Prepara o filme, e põe na moviola;
Eu quero apenas não querer mais nada,
A minha fita é fita rodada:
Não mais ouvidos dou à corriola.

O ceticismo que ora me isola
Já foi ingênuo amor, já foi cilada.
Adeus mulher, adeus à pátria-amada;
Puxo o bonde empurrando a carriola...

Prepara o filme, e põe na moviola;
Na edição, a tesoura enferrujada
Não há de nos servir, fica calada.

O nosso filme é bom e não enrola:
O que vale mesmo é a gargalhada,
O resto é peta, é burla, ou é piada!

Marcos Satoru Kawanami
..............................................................
trilha sonora do Blogue: http://blip.fm/mskawanami

terça-feira, 29 de março de 2011

anachronism - anachronic sonnet - Sonnet anachronistisch - cântico em descompasso

http://esquinasgerais.blogspot.com/2010/11/tempo-tempo-mano-velho.html

CÂNTICO EM DESCOMPASSO

Uma insone prantina, orvalhando o lençol,
a cintilar, reflete o que não há de sonho
no cântico ideal feito réquiem medonho
em pentagrama* impresso ao arribar do Sol.

Mas, a cada manhã, revigorar suponho
o cântico, alentando-o mais em cachecol
insano, e espiralado qual um caracol
a furtar-se do agreste, gris mundo enfadonho...

Mundo enfadonho!, duro, rijo em teus limites:
por que dás-me esperança?, se tanto é proibido
sob a tua foice atroz; por que sonhar permites?

Amo, sabes?, mas este bem vem preterido
pelo tempo de eu não-ser, e nada há que evite
se aflora-me anacrônica cruel libido.

Marcos Satoru Kawanami

*pentagrama: 5 linhas da partitura musical.
...................................


trilha sonora do Blogue: http://blip.fm/mskawanami

segunda-feira, 28 de março de 2011

love in the time of cholera - the poem of Florentino Ariza to Fermina Daza - el amor en los tiempos del cólera - el poema de Florentino Ariza a Fermina Daza - o amor nos tempos do cólera - Gabriel García Márquez GGM el Gabo



O POEMA DE FLORENTINO ARIZA
a Fermina Daza

Eu bem sei que tu bem sabes,
se o passado não mais volta,
se o destino não nos cabe
revirar como quem solta
perfume de flores mortas,
vamos cultivar a horta
sem flores, perfume, abelhas...
Porque as joviais centelhas
do teu semblante senil
querem pica, pedem porra,
dizem puta que o pariu!
E fodemos na modorra
do nosso jardim sem flores,
sem juventude, sem rima.

25 de novembro de 2010
Marcos Satoru Kawanami


pode ser recitado também:

O POEMA DE FLORENTINO ARIZA
versão aberta ao público

Eu bem sei que tu bem sabes,
se o passado não mais volta,
se o destino não nos cabe
revirar como quem solta
perfume de flores mortas,
vamos cultivar a horta
sem flores, perfume, abelhas...
Porque as joviais centelhas
do teu semblante senil
são a zorra na masmorra,
a pólvora e o pavio.
E brincamos na modorra
do nosso jardim sem flores,
sem juventude, sem rima.

25 de novembro de 2010
Marcos Satoru Kawanami

sábado, 26 de março de 2011

beduíno - beduína - a nômade - the photographer Sebastião Salgado - photography - fotografia em branco e preto - fotografia em película - filme - Masp - Vicente Mateus - Corinthians Paulista 1910

"Genesis" photography of Sebastião Salgado


A NÔMADE

Na multidão dos séculos perdida,
vaga esta sempre nômade menina;
olhar de soledade beduína
que abandona ao destino toda a vida...

Nunca conheceu pai ou mãe querida,
esteve a eternidade nesta sina
que lhe suprime o riso e impõe prantina
na busca de uma terra prometida.

Cansaços, perdas, dores, desenganos
padeceu numa estóica confiança
ao par com o delírio mais insano.

Pois tem a Humanidade semelhança
com tal menina, que todos os anos
renasce quando nasce uma criança.

Marcos Satoru Kawanami
.............................................


"Salvador Dalí era daqui, ou era dali mesmo?"
(Vicente Mateus, em visita ao Masp)
..............................................
Trilha sonora do blog: http://blip.fm/mskawanami

quarta-feira, 16 de março de 2011

The Pursuit of Happyness - A Procura da Felicidade - felicidade canina - otimismo é fundamental - Will Smith - a quote of Oscar Wilde - última composição de Noel Rosa: humor até o fim - Rolando Boldrin


"Friends are friends when they don't even know why they are friends."
(Rolando Boldrin)

"I think that the sufferings of this present time can not be compared to the glory which shall be revealed in us..."
(St. Paul, letter to the Romans 8:18)

"Ambition is the last refuge of failure."
(Oscar Wilde)


FELICIDADE CANINA
(the pursuit of happyness)

Um tal instinto bom eu tenho tido,
que desde a aurora tosca de menino
conduz-me em descaminhos cujo tino
teria diplomado um falecido.

Por mais que me quisesse desistido
o mundo de cumprir o meu destino,
o bom talante alegre e olhar canino
feliz em si tem sempre persistido.

Cachorros são felizes porque querem:
lá na indigência hostil do viaduto,
ou no trabalho árduo do polo.

E nesse olhar canino que os diferem,
conforme é mais o afável que o astuto,
pessoas há que têm dos anjos colo.

Marcos Satoru Kawanami
...........................................................................


CHUVA DE VENTO (1) – embolada (29 de abril de 1937)
(Noel Rosa)

Chuva de vento
É quando o vento dá na chuva.
Sol com chuva,
Céu cinzento,
Casamento de viúva.

Zeca Secura
Da fazenda do Anzol,
Quando chove não vê sol,
Vai comprar feijão no centro:
Bebe dez litros
De cachaça em meia hora,
Pra agüentá chuva por fora,
Tem que se molhar por dentro.

Vento danado
É aquele lá de Minas,
Sopra encima das meninas,
Diverte a população.
Até os velhos
Vão correndo pras janelas
Para ver se alguma delas
Já usa combinação.

Faz sol com chuva,
Tem viúva lá na Penha,
Não há viúva que tenha
Tanto pretendente junto:
Nessa corrida
Da viúva de seu Mário,
Quem for vencedor do páreo,
Ganha resto de defunto...

Quem nunca viu
Chuva de vento à fantasia,
Vá em Caxambu de dia,
Domingo de carnaval.
Chuva de vento,
Só essa de Caxambu:
Domingo chove chuchu,
E venta água mineral.

Um Zé Pau d’Água
Tem um amigo parasita,
Não trabalha e sempre grita:
Viva Deus e chova arroz!
Gritando assim
Do seu povo ele se vinga:
Viva Deus e chova pinga,
Que o arroz nasce depois!

Muita gente desconfia
Dessa chuva à fantasia
Que eu vi em Caxambu.
Se o espanhol
Contar a dele, não me ganha.
Vai dizer que lá na Espanha (2)
Chove bala pra chuchu.

(1) Apontada como a última composição de Noel Rosa, que morreu de tuberculose pulmonar 5 dias depois, em 4 de maio de 1937, aos 26 anos de idade. Melodia perdida.
(2) Alusão à revolução espanhola iniciada em 1936 por Francisco Franco, que tomaria o poder em 1939, com auxílio de Hitler e Mussolini. Esta estrofe não foi recitada por Almirante.
Recitada parcialmente por ALMIRANTE durante o programa No Tempo de Noel Rosa de 31 de agosto de 1951 levado ao ar pela Rádio Tupi do Rio de Janeiro.
...........................
algumas canções das quais sou ouvinte: http://blip.fm/mskawanami

terça-feira, 15 de março de 2011

guimba, bituca de cigarro - Penélope Cruz - Pedro Almodóvar - "Sin noticias de Dios" el film - Kung Fu Fighting - pelotão de fuzilamento - último desejo - Aureliano Buendía - Cien años de soledad - Cem anos de solidão - Gabriel García Márquez

Diante do pelotão de fuzilamento argentino, eu paro e penso:
"La morte è bella"


GUIMBA

Mesmo quem vive na pinimba
e sofre agruras de indigência
sem nem poder pedir clemência,
sabe fazer sua catimba:
Na hora do fuzilamento,
qual o condenado detento
que não fumará com vontade,
numa esperança de piedade,
o seu cigarro até a guimba?

Marcos Satoru Kawanami
....................................................


this song goes to Penélope Cruz

segunda-feira, 14 de março de 2011

la nouvelle cuisine brésilienne - piadas e chistes

"Bôto Botô" - óleo sobre tela 2004
a partir de desenho de 1992


La Nouvelle Cuisine Brésilienne

COMIDA MINEIRA:
-- Uai, quê trem esquisito, sô! Será que minha baguette não vai queimar dentro desse forno? Vou ficar pondo e tirando, por precaução...

COMIDA BAIANA:
-- Carece ser agora, meu rei?
-- Ah..., sei lá. É que depois do meio-dia eu viro Pomba-Gira, né?, minha nêga.

COMIDA PARAENSE:
-- Ubirajara, e agora?!
-- Já que entrou, foda-se. Se der merda, diz que foi o boto!

COMIDA PAULISTA:
-- Giaccomo, figlio d'Italia, aproveita que o Filho do Brasil tá fazendo piquete! E é em São Bernardo do Campo!

COMIDA GAÚCHA:
-- Mulata, loira ou morena?
-- Picanha!

COMIDA POTIGUAR:
-- Senhor, nosso cardápio é seleto: polaca, francesa, tailandesa, italiana ou finlandesa?
-- Ói, traga-me um pouco de cada.
..............................................................................................

PARA MOÇAS DE FINO TRATO
—Vamos foder?
—Pensa que sou puta, é?
—Não. Puta é paga pra foder. Eu não vou te pagar nada.
—Ah... bom. Então eu dou pra você.


CANTADA
-- Creio que temos alguma semelhança esotérica no plano espiritual e despombalizado do além nada...
-- Só se for o meu clitóris.
-- Teu clitóris deve ser avantajado...
-- Ou teu pênis que é de miniatura.


Dr. Erika Hist Érica
(proctologista e relações púbicas do Senado Federal)

quinta-feira, 10 de março de 2011

we? - the big bang theory - were ancient gods astronauts? - cosmology - cosmogony - foram os deuses astronautas? - ufo - ovni - ET - Steven Spielberg - MIB men in black


WE?

Loneliness is a so natural state
of any living matter you will find;
’cause when I was a child, now I remind
myself: I was alone, that was my hate!

I had a mother, a father, a faith,
and the true love of my sister, so kind...
come from the very equal flesh of mine,
and, yet, I was I behind the soul’s gate!

Now, where’s my faith, my sister, where am I?
in this spinning sphere which just says good bye
to teach us good bye, to teach us to pass...

As our life goes too fast, we’re lonely as
the fast spaceship that goes faster as far
it is from us, from the Origin we are!

Nhandeara, 15 de abril de 2002
Marcos Satoru Kawanami
..................................................................

"From this life, what we take is what we give."
(Dadette Dalí)

quarta-feira, 9 de março de 2011

Esgrima UFRJ - torneio de esgrima no Forte de São João - soneto sobre o bairro da Urca - Pentax Camera - Fuji Film - fotografia em película



ENCONTROS PERDIDOS – soneto ainda sem noção teórica
para Márcia Soares, mestre de esgrima na UFRJ

Chorava, e já a noite fazia escuro.
Chapinhavam pela urbe os guardas-chuvas.
Silvava Zéfiro à Afrodite; uvas
Graúdas lhe deitava o Baco impuro.

Mesclado frio, volúpia e harmonia:
Frenesi, curvas do Rio de Janeiro.
Num grito sideral ao mundo inteiro
—Quedei-me a soçobrar, melancolia!

Nunca sequer sonhei cantar-te um dia,
Urca sublimada n’Olimpo etéreo
Da Guanabara antiga e já distante.

Bairro algum põe-me gris, nem poderia...
Mas um bem ausente, cujo mistério
Calaras, Flamengo, d’agora avante.

11-junho-1994,  Rio de Janeiro   —Galeão
Marcos Satoru Kawanami

segunda-feira, 7 de março de 2011

alcagüete

Jodie Foster in the film "Taxi Driver"



ALCAGÜETE

Um dia sinhá Dadette
se meteu com Delator
sem saber do cacuete
que tinha esse impostor.

Mania feia dessa gente
dada a ser dedo-duro...,
pois logo ficou patente:
Delator cobrava juro.

Colocou a pica ao ágio
da tal bolsa de valores,
Dadette por um fromaggio
leiloava os seus pudores.

Triste enleio por que passa,
na unha de um alcagüete,
tutta leggiadra ragazza
que escorrega num cacete!

Marcos Satoru Kawanami

quinta-feira, 3 de março de 2011

Where comes the bride?

Kate admires the beloved being...



WHERE COMES THE BRIDE?

Kate Middleton kisses a man of good: William.
Kate Middleton kisses a man of good. Will i? Am…
Kate Middleton kisses a man of good will. I am.

Nhandeara, 3 de março de 2011
Marcos Satoru Kawanami
.......................................................................


"Eu não sou hipócrita."
(Técnico José Mourinho, explicando ao Flávio Prado por que não fez o Juramento de Hipócrates. - Chico Lang internou os dois no Juquiri, mas eu já os liberei mediante exame anti-dóping e parecer favorável a propinolol na bunda do bolso, e vice-versa)


"Eu prefiro o meu Juventus."
(Michelle, à janela, ouvindo seresta de Celso Cardoso)


"Eu prefiro o Dragão."
(São Jorge, que não quis dar entrevista)


"Eu prefiro Chico Lang."
(Dragão, o bicho é irracional)


"Eu prefiro o Tévez"
(Chico Lang, que estuda Psiquiatria por motivos óbvios)


Eu prefiro a Vaca de Itaquera, que pasta no terreno onde será o estádio do Corinthians.
(Eu mesmo, cazzo!, pois a Vaca é a única que efetivamente já está adiantando as obras neste projeto do nosso Timão, tombando o mato; alguém da Gaviões se candidata a voluntário pra comer capim?)