sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

o beijo - the kiss



O BEIJO

O meu amor é coisa indefinida:
existe dentro em mim um sentimento
que oscila entre o riso e o lamento
ao compasso do pêndulo da vida.

Em tudo quanto vejo ou invento,
sempre a ternura se me faz sentida;
assim, amo a chegada e a partida,
amo a carne e o casto pensamento.

Por tudo que acontece sem razão,
ou talvez pela extrema solidão
que me faz desviar do senso reto,

em uma noite quente de verão,
o cúmulo senti do meu afeto:
enterneceu-me o beijo de um inseto!

Marcos Satoru Kawanami
............................................................


"Nós nos auto-censuramos a fim de não sermos censurados."
(Luciane, jaguatirica que tenho amansado há 11 anos)

7 comentários :

Gabriela disse...

Sempre acho que vai ser outra coisa.
Ou sempre é o que eu não pensei.

Jaime Guimarães disse...

O amor, de fato, é assim: indefinido. Pergunte pra Luciane, talvez ela confirme. Ou não.

=)

Marcos Satoru Kawanami disse...

Jaime,

a Lu mandou dizer: "sentimento só é real se não se explica, senão é idéia em vez de sentimento."

mas, aqui em casa, sou eu é quem dou a última palavra: sim senhora!

byTONHO disse...



"O beijo arranha!"

be:)os!

;*

Gabriela disse...

Não, é interior.

Paulo Vitor Cruz disse...

Uma vez beijei um inseto... (inseta,acredito...).. eu devia ter uns nove ou dez anos... n sei se foi meu primeiro beijo, mas me lembro dele como se fosse mesmo um beijo a se considerar..

*feliz restin de domingo ae..

abraço grande.

Soneca disse...

...
Sim senhora!

Inté
ps: Amor não é só a palavra, nisso concordamos.