segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

soneto à moda da casa


SONETO À MODA DA CASA
                                         para Vinicius de Moraes

Não comerei da alface a verde prega:
eu nunca fiz questão de andar na moda,
ser vegetariano me incomoda;
um lombo, uma chuleta... não se nega.

Quem desde tenra idade se apega
à mania fraterna de na roda
botar o seu jiló, rapaz!, à poda
de tudo quanto é pau faz vista cega...

Meu lado ecologista, já, preserva
os paus no seu lugar, dentro da mata,
e as cobras se escondendo pelas moitas.

Concordo com Vinícius: comer erva...
além de coisa insípida, é chata,
pra quem já lambuzou-se em carne afoita!

Marcos Satoru Kawanami
............................................................



Não comerei da alface a verde pétala
Nem da cenoura as hóstias desbotadas
Deixarei as pastagens às manadas
E a quem maior aprouver fazer dieta.

Cajus hei de chupar, mangas-espadas
Talvez pouco elegantes para um poeta
Mas peras e maçãs, deixo-as ao esteta
Que acredita no cromo das saladas.

Não nasci ruminante como os bois
Nem como os coelhos, roedor; nasci
Omnívoro: dêem-me feijão com arroz

E um bife, e um queijo forte, e parati
E eu morrerei feliz, do coração
De ter vivido sem comer em vão.

Marcus Vinitius da Cruz e Mello Moraes
.

8 comentários :

Vinícius Paes disse...

Amigo,

um grande soneto. Duas leituras, duas interpretações, duplo sentido, porém uma só sensação, ao findar a leitura, admiração.
"os paus no seu lugar, dentro da mata,
e as cobras se escondendo pelas moitas."

Esses versos são fantásticos, sacana e original.
Também não suporto a moda vegetariana, nos dois sentidos.

Abraço

tonhOliveira disse...



Comer uma vegetaRIHANNA
bem 'passadinha' ou ao ponto com muita alface e depois aquele soninho, é o que há de melhor!

:

Alvarêz Dewïzqe disse...

cara, que deboche, que escárnio! curti essa cantiga estilo medieval. dai a gente bota uns solos, mete uns bends, e vira um blues! de primeira.

Thaíla disse...

Sabe que eu até ja tentei me habituar a renunciar os prazeres da carne (hahaha)... não vingaram muito não!

Mas levanto bandeira a favor, admito.

Beijos muitos.

Luna Sanchez disse...

Pobre vaca.

Soneca disse...

Lendo isso ai me lembrei dos meu tempos vegetarianos: Uma semana, uma longa semana. Eu como de tudo(não nesse sentido)... só não me dê jilô, ruim demais, vixe!

Seus sonetos são sempre esclarecedores...

Inté

Adriana Godoy disse...

Isso vai incomodar o Pimenta...tenho certeza. Mas gostei de seus sonetos incrivelmente fantásticos. Bj

Teca Eickmann disse...

Muito boa.
Sátira sem ser grotesca hoje em dia tem pouco.
Se bem que a charge também foi hilária. :D