domingo, 29 de agosto de 2010

Soneto Concreto



SONETO CONCRETO

Não lembro mais de idéias, mas de imagens;
imagens pinceladas na memória
da vida verdadeira e ilusória,
sem discernir o abstrato das passagens.

Mas a vida ilusória tem paragens
em que a mente compõe suas estórias
de carrascos, heróis e suas glórias;
enquanto que a verdade é só paisagem.

De modo que a ilusão é o pensamento
a formular esquemas sempre assim:
moldes toscos do arguto entendimento.

Errante na paisagem a que vim,
a vida verdadeira e seu intento
é eu não pensá-la e não pensar em mim.

Marcos Satoru Kawanami
...................................................................


"Minha famigeradamente caluniada progenitora pede que eu não entre pra Política, a bem da reputação dela! Da reputação da minha mãe ou da Política?"
(Eu, eu mesmo e Irene)

"Pensar é um instinto dos humanos..."
(Pateta de Disney, sendo citado no tratado interdisciplinar "On the decay of species by means of natural fornication" ou "Eu não sou cachorro não" de Waldick Soriano)

"Amor, verbo intransigente?"
(Joanette Mondragon, por garrafa atirada ao mar, da Ilha de Santa Helena; que continue com saúde e me escrevendo por essa mídia até longeva velhice é o que desejo)

.