segunda-feira, 30 de agosto de 2010

CRÔNICA EMO


CRÔNICA EMO

(experientalismo ou caricatura?)

Meu nome é Rhóida, Emo Rhóida, rapaz languidamente pálido, apesar de negro como Michael Jackson, e as músicas que eu vivo a cantar têm um sabor igual, por isso é que se diz “como ele é sentimental”. Tudo começou nos meus 15 anos, quando desataram-se os sangramentos e... veio essa coceirinha, esse comichão, essa coisa de querer botar pra fora... ou pra dentro, sei lá, alargar meus círculos intelectuais e curar essa ferida que sangra nos fundilhos do meu âmago, entende?
Os dias eram chuvosos, eu morava em Pelotas, mas parecia Londres: aquele fogg, e garoa que nem a paulistana. Na penumbra eu me sentia protegido, feito borboleta no casulo, eu era a borboletinha londrina de Pelotas; no entanto pesava o sentimento do mundo sempre abafado como que por uma crosta de melancolia.
Foi então que, num acampamento, eu conheci Marcolina Schivaròla, uma japonesa de nome italiano, a qual abriu meus olhos. Tendo de defecar, limpei, ocasionalmente com urtiga, o bumbum. Enquanto Marcolina me ensinava a comer com pauzinhos, a urtiga começava a surtir poderoso efeito terapêutico no meu âmago, refletido em frases lindas, num conluio que unia-nos por um tesudo e voraz ato platônico, tipo o filme Crepúsculo.
Acho que a japa não assistiu o filme do vampiro. Não sei por quê, disse que não tinha sangue de barata, e fugiu pro Iraque com um anão do Circo de Pulgas de Carazinho.
Adeus, mundo cruel! Eu só quero um consolo, mas um consolo bem grande, o consolo de Lord Byron, mas também pode ser o de Sir Gaylord: um caixão de pinho, o pau mais vagabundo pra caixão; pois se aquela vagabunda não quis me ter, o pau vai me ter! Por meu olho, que a terra há de comer...

Marcos Satoru Kawanami
.

8 comentários :

Lais Dutra. disse...

muito bom! coitado dos emos, sempre sendo lembrados! kkk

lembra de mim marcos?
voltei a postar!

Abraço

Gabriela disse...

Aaaaah, às vezes todo mundo é meio emo.

*não entendi teu comentário, sou lerda. Eu acho.

As I Am disse...

Mestre dos Magos nunca me enganou.
O unicórnio sim!
:s

Beijooo!

Adriana Godoy disse...

Hahahahaha! A velha e boa forma de Marcos...amei. Emo-cão! beijo

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Boa Marcos, boa!
Imagino você pesquizando sobre os emos para montar essa crônica.
Ficou engraçado e EMOcioante a história do rapaz.

Abraço!

Elga Arantes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elga Arantes disse...

Kawanami,

Eu não sei, na real, qual é a "filosofia" (nó, se Perine me ouve usando essa palavra de maneira tão irresponsável...)dos emos. Sei o que o senso comum sabe. Mas penso, pelo seu texto, pelo teor frequente de seus comentário, quase sempre sórdidos, noutros quase sempre tão metafóricos, que vc deva estar sendo preconceituoso. Mas como essa própria conjectura é uma hipótese preconceituosa, me resta rir. Muito. E comentar publicamente, como acho que mereçam as pessoas "como você" (não resisti, rs): Vc é um dos caras mais criativos e com pensamentos concatenadamente inteligentes com quem já correspondi ("conheci", seria demais). Se é que vc é vc mesmo e, se for, se esses comentários forem de quem eu acho que vc seja!

Melanie Brown disse...

uahsuahsahshaus
Ri principalmente da imagem!!

;-D