segunda-feira, 5 de julho de 2010

terra de amanhã


TERRA DE AMANHÃ


Descendo pela encosta da campina
que se estende longínqua atrás da serra,
camponeses cultivam boa terra
oculta em sereníssima neblina.

Na candura da paz adamantina,
quem suporá que lá se fez a guerra?,
que um tiro de canhão abriu cratera,
e exangue agonizou uma menina...

Eis a história de toda a Humanidade:
se pelas mãos humanas se fez tanta
perversa irracional atrocidade,

um dia, toda a Terra será santa,
pois mais forte que o mal é a bondade,
o valor que mais alto se alevanta!

Marcos Satoru Kawanami
.

9 comentários :

Adriana Godoy disse...

Marcos, amém. Camões se levanta e aplaude. beijo.

Marguerita disse...

Marcos, juro que tento acreditar que a bondade ganhará do mal.

E há indícios que isso possa ser verdade:
Argentina caiu!
Alemanha continua!

uahuahauha

q blz!

Bjoooo

tonhOliveira disse...



A terra terá o amanhâ?

Não vejo esta possibil-idade...
mas temos que levantar todos os dias com a cabeça levantada, erguida e pensar que sim.
...

Com o Rico-do-Ricardo Temcheiro do Mal,
ditador da CBF, não há hipótese...

I am not hope, expectancy!

Abraços!

bella ferraro disse...

"Na candura da paz adamantina,
quem suporá que lá se fez a guerra?"

As aparências enganam porque já nascem com essa intenção ou alguém simplesmente faz uso delas para conseguir esconder a aparência que dominava antes?

Marcos Satoru Kawanami disse...

Bella,

talvez o que engane seja o julgamento que fazemos a partir de vivências precedentes, as aparências são apenas o objeto de estudo.

a luz branca que passa pelo prisma, e se revela multicolor, por exemplo.


=D
Marcos

Soneca disse...

É por isso que eu amo o Hino do Brasil, não se fala em guerras, conquistas, como outros hinos...

a guerra é a mais suja invenção do homem, é tudo o que eu digo.

Inté
ps; Ia me esquecendo, tenho um selo pra ocê... Vai no meu brog e clica em nove coisas. ^^

Marcos Satoru Kawanami disse...

Soneca,

"Nossos bosques têm mais vida!
Nossas vidas, no teu seio, mais amores!"

bem lembrado, nosso hino não fala de guerra.

nosso hino fala de amor.

"Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula:
-Paz no futuro e glória no passado."

Erika Freitas disse...

Nada melhor do que um conflito para despertar o patriotismo nas pessoas. Somente vislumbrando a destruição de nosso "lar" podemos enxerga-lo de forma admirável. É uma pena que seja assim.
Seu texto me lembrou o Shire dos Hobbits, não sei por que, rs.

Mateus Henrique Zanelatti disse...

Me lembrou uma cena do filme "Além da linha vermelha".
.
.
.
Muito bom o soneto, Marcos.