sexta-feira, 11 de junho de 2010

OMNIBUS IN MUNDUS - da servidão humana







OMNIBUS IN MUNDUS



(DA SERVIDÃO HUMANA)
Sobre a linha do trem, a solitária esperança do partir e as —mais numerosas— objetividades da pedra, do pau e do aço. Sobre a linha do trem, o caminhar do engenho pelos tempos, a segurança de civilidade, um rumo a entreter a existência, a possibilidade do suicídio... Ele toca a flautinha de bambu andando na carreira do trem. Cabelo pixaim caído de lado, ainda possuía a centelha que, com a idade, das pupilas vai sumindo. Queria ser artista! artista! e militar por algo que entendesse justo! e isso! e aquilo! e fazer aquilo outro... que acabou nem fazendo o mínimo para seu próprio bem-estar.
Havendo sido ele cagado —é da mitologia brasileira crer que pessoas muito feias não são nascidas, porém cagadas; certamente por isso o povo do sul prefira dizer obrar ao invés de cagar ou defecar. Então, por caridoso eufemismo, havendo ele sido obrado no Planalto Central, quis ser artista, desceu às Gerais, e se acabou num entorpecente anonimato a esculpir pedra-sabão em Ouro Preto, a antiga e decadente capital. Arranjava-se com menos do que mendiga a subsistência, às vezes até envergava o dolmã encurvado da indigência, e se o mal-cheiro e a compleição física lhe sentenciassem a condição de desvalido, a cabeça mantinha-se dura e a altivez era a altivez surreal dos idealistas. Ingênuos idealistas, são bons na proporção direta em que tentam ir além do que exige o trato social, e na medida inversa da ojeriza que inspiram por suas ações insociáveis. Mas envelhecido, despojado de idealismo, restou o humano orgulho e vaidade, ainda que a arrogância já era banida pelo mesmo malho que ensina as vantagens do ferro doce sobre a rigidez do aço. Idem, jamais veio a tentar-lhe a malícia, que é navalha para cortar os outros, mas entre os demais não distingue a carne de quem a manipula.
Assim, intrometendo-se nas repúblicas estudantis e freqüentando as rodas da boêmia, rejeitava enturmar-se com a "ralé da feira de artesanato" --nem por isso deixou de ser mais miserável que o mais miserável deles. Julgava-se discípulo de uma arte superior, preferindo vender suas obras apenas para amigos. E haja mecenas que o sustentassem!
Breve foi vetado, pela desconfiança ancestral dos que crêem ter muito a perder, na quase totalidade das repúblicas, inclusive na dita em que duma feita teve a certeza de amizades sinceras, e na cuja deve aos seus préstimos artísticos a tabuleta de entrada mais vistosa da cidade. Naquela noite clara de lua cheia, ele passava em frente da tabuleta:
—Vocês envernizaram ela? —pergunta com a voz trêmula de costume.
—Não. —responde secamente o republicano.
—É que de repente vi um certo brilho, assim... —persiste, com ademanes, suplicando diálogo. —Sabe quem fez esta placa? Fui eu.
Era de se esperar que fosse convidado para beber algo, como mandava o costume. Mas...
—Parabéns! —exclama o estudante em tom de burla, ante ao maltrapilho.
As experiências de vida são as mais custosas; a cada geração têm que ser ratificadas, e são pagas com a própria carne. E aquele que tendo vivenciado equivalente humilhação, foi tratar seu reumatismo crônico numa aldeia campesina ao norte da Sibéria e absteve-se de alguma vez amaldiçoar o dia em que nasceu, aquele nunca existiu.
.