sexta-feira, 15 de janeiro de 2010



PURITANO DOIDO

(ficção total)

Eu sonho com o dia radiante
em que do amor teremos amizade
bastante por nos dar a liberdade
do feminil grilhão, vulgar bacante.

Porque nosso tormento lanscinante
é penar nas mãos da sexualidade,
coisa nojenta e suja, que em verdade
só embaralha do macho seu talante.

Confio no progresso da Ciência,
a qual in vitro já nos dá seleto
modo de procriar com abstinência.

Contudo, ainda do pênis ereto
sofremos a lascívia com freqüência
até que o bem broxemos por completo!

Marcos Satoru Kawanami

.

8 comentários :

BAR DO BARDO disse...

Prefiro o método antigo...

Caio Timbó disse...

Prefiro o método antigo...[2]

Lara Amaral disse...

hahaha...

Pelo jeito o in vitro continuará como última opção, hehe.

Muito bom soneto! Vc é o cara, Marcos. Sabe escrever escrachadamente sobre qualquer assunto e ainda manter a classe, uma mistura interessante.

Mirse Maria disse...

Oi Marcos!

Apoio os dois métodos.

Aprovo abstinência temporária, sim. Porque não?

Muito bom!

Abração

Mirse

Calí das Mercês disse...

Marcos você é ótimo...

hehehe

Grande abraço!

Vitinhobinho disse...

Bom dia. Adorei o Blog e sua forma de se expressar. Da uma passada no meu blog e comenta la http://vitinhobinho.blogspot.com/

Marcos Satoru Kawanami disse...

Mirse,

Abstinência não é a solução, mas a mesma mulher todo dia faz até pensar numa possível virtude que talvez quem sabe algum dia possa existir remotamente no longínqüo celibato...

Soneca disse...

Hum... não tenho experiência sobre isso(13 anos), mas mulheres sobreviveriam a abstinência, os homem podem se virar com u mamão ou algo que se pareça com... Você entendeu.


Inté

ps:Você vai me comprar outro sensor de humor negro, seu poeta in vitro.