sexta-feira, 11 de dezembro de 2009



CONTRADIÇÕES

Portugual...
Lá meu passado deixei,
No chão que nunca pisei.

Não faz mal...
Mal é o mundo que pisei,
Que pisou-me e não deixei.

Frio val...
Das mentiras que aceitei,
Das verdades que inventei.

Pá de cal...
Finda tudo que sonhei,
Mal-me-quer que não plantei.

Prantinal...
Lembro tudo que não sei,
Lembro o que nunca serei.

Funeral...
Amo a morte que esperei,
Espero a mulher que amei.

Marcos Satoru Kawanami

.

12 comentários :

nina rizzi disse...

duas referências caríssimas pra mim: a Pasárgada de Bandeira e "Quanto a mim snharei com Portugal", de Eduardo ALves da Costa. Também tenho minhas versões, idem, nunca pisei em Portugal, ainda: é meu fado maior.

Um beijo.

Lara Amaral disse...

Vc esbanja sabedoria.

Beijos.

tonhOliveira disse...



Por tu guesa, lusa sem LUZ!

Meus pêsames!

Abc com çedilha!

Marcos Satoru Kawanami disse...

tonhOliveira,

atualizei o diploma, conforme vc mo enviou.

tonhOliveira disse...



Valeu Marcos!

Fútil é a bola,
neste drama do sobe e desce!

há braços consoladores!

Reflexo d Alma disse...

Linda composição...
Lembrou-me
versos
que amo ler
e reler.
Bjins
entre sonhos e delírios

Adriana Godoy disse...

magistral....
releitura original. beijos

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Releitura de que obra?

Cosmunicando disse...

olá Marcos,
obrigada pelas mensagens.
uma de suas respostas pode estar aqui ou aqui...
quanto ao significado dos poemas, acredito na liberdade de cada um em fazer sua própria leitura... aí reside boa parte da magia da poesia.
abraço :)

Lisa Alves disse...

contradições é uma utilidade publica para quem segue a vida dominado por uma unica vertente. Muito bom!

Marguerita disse...

Melhor que o Flamengo ganhar é o Inter deixar de ganhar pela entrega antecipada do jogo pelo meu Tricolor.

ai ai ai

Quem não tem cão...

BJo

Elga Arantes disse...

kkkk
imaginei a torcida recitando isso em coro.

ôh, gente, deve ser muito triste... muito triste...