segunda-feira, 23 de novembro de 2009


SONETO DO FIM


O fim da gravidez é o nascimento;
o fim do nascimento é dar a vida;
o fim da vida é a sorte prometida
e revivida em todo sacramento.

A infância é finda com o crescimento,
que transforma a mulher bem mais querida
ao homem já viril em sua lida;
tudo a fim de que exista casamento.

O começo do fim é o Universo,
e nele começou a Humanidade,
que, um dia, começou a fazer verso.

O verso tem por fim posteridade
se o mundo não lhe der um fim perverso;
enfim, o fim do fim é a eternidade.

Marcos Satoru Kawanami

.

12 comentários :

Sunflower disse...

qual é o antônimo de vida?

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sun,

eu não sei o antônimo de vida.

ainda que morte seja uma das respostas, não me atrevo a responder-te com o óbvio sabendo que tu não és uma pessoa óbvia; mesmo porque este conceito entra em contradição com minha fé católica, crente na ressurreição e vida eterna para os eleitos.

porém, se a paga do pecado é a morte, talvez o pecado seja um antônimo possível para vida.

quê me diz?

Natália Corrêa disse...

e o ciclo do fim também se repete.

Adriana Godoy disse...

muito filosófico...vou pensar. bj. "Penso, logo desisto"

tonhOliveira disse...



oAMORte
aMORTEtira

início e fim!
enfim...

Abracos Marços!

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Sei não; mas acho que o antônimo de Vida é se fazer de morto antes de morrer...
Que eu gosto do teu texto você já está careca de saber, certo?
Então um outro assunto: Cara! 'tô lendo o "Caim" do Saramago, e lembro de você toda hora... De você e da 'Strega' (Valéria Nagi, conhece? É uma blogueira Rosa Cruz, e muito inteligente, com uma fé de abalar montanhas, como você)
Se um dia você ler esse livro, me conte o que achou, PLEASE!

Tânia disse...

Que lindo Marcos.
O fim do fim, é a eternidade *--*
Maravilhoso poema.
___________________________________
Viu.. vc perguntou no meu blog oq tava acontecendo.. eu te mandei um email explicando.. vooce recebeu ?

beiijos.

Kátia Ruivo disse...

Você é um poeta maravilhoso!
parabéns!

Lara Amaral disse...

Seu verso é infindo de significados.

Muito bom.

Abraço!

Fred Matos disse...

O fim do fim é o reverso do parto e a eternidade é, enfim, um pequeno pedaço da unha do meu dedão.
Abração, Marcos

Soneca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Soneca disse...

Poema que faz refletir, fato.
O fim é um re-começo...
E o que seria da vida se nós fossemos imortais, não é mesmo?

Inté
ps; Um escrito que guardo para o medo da morte...